Pular para o conteúdo principal

Arte feita pela Prefeitura
Acervo APCBH/FMC

Projeto debate as mudanças da vida social em BH nas décadas de 1930 e 1940

04/03/2021 | 15:06 | atualizado em 04/03/2021 | 19:16

A Secretaria Municipal de Cultura e a Fundação Municipal de Cultura promovem na próxima quarta-feira, dia 10, às 19h, uma palestra virtual com a professora e pesquisadora Gelka Arruda de Barros, como parte do projeto “Novos Registros – Banco de Teses sobre BH”, desenvolvido pelo Arquivo Público da Cidade de Belo Horizonte. A transmissão será ao vivo pelo canal da Fundação Municipal de Cultura no Youtube. Os ouvintes poderão participar de um chat ao vivo durante a palestra e terão direito a um certificado de participação.

 

Intitulada “Para a família do Brasil: o cultivo do corpo e a diversão em Belo Horizonte nas páginas da revista Alterosa (1939 – 1945)”, a palestra é baseada na tese de doutorado de Gelka, defendida na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em 2018. Serão discutidas as mudanças da vida social de Belo Horizonte durante o processo de modernização da cidade, por meio da análise das estratégias discursivas presentes na revista Alterosa, durante o período de 1939-1945. 

 

O periódico ilustrado, criado em Belo Horizonte em agosto de 1939, foi considerado um importante propagador do ideal de modernidade presente naquele período. O trabalho da pesquisadora é contextualizado no Estado Novo (justamente o período citado) e investiga como a revista teve papel importante na busca por afirmar hábitos e reconfigurar comportamentos. 

 

Gelka Arruda de Barros é professora de Arte no Instituto Federal de Minas Gerais (IFM), Campus Sabará. É doutora e mestre em Estudos do Lazer, Cultura e Educação pela UFMG. graduada em Artes Plásticas (Desenho e Pintura) pela Escola Guignard da UEMG e em Comunicação Social pela PUC Minas. Pesquisa as interfaces entre corpo, imagem e discurso, concentrando o interesse nas áreas de Artes Visuais, Estudos Culturais, Estudos do Lazer, História e Comunicação Social.

 

“O Projeto Novos Registros é uma importante ação de difusão cultural e divulgação não somente do próprio Arquivo Público, mas também da história de Belo Horizonte. Por meio dele, conseguimos aproximar a sociedade de pesquisas acadêmicas centradas em questões relativas à nossa cidade, promovendo reflexões e debates relevantes ao nosso desenvolvimento”, afirma Françoise Jean de Oliveira, diretora de Patrimônio Cultural e Arquivo Público da Fundação Municipal de Cultura.

 

O Projeto

O “Novos Registros - Banco de Teses sobre BH” convida palestrantes que tenham realizado trabalhos acadêmicos sobre a cidade em diversos campos do conhecimento ou acerca de temas afins à área cultural e à preservação de acervos, para apresentações gratuitas e debates com um público diversificado. As pesquisas selecionadas são de mestrado ou de doutorado, defendidos recentemente. 

 

Após a palestra, o convidado doa um exemplar do seu trabalho para o Banco de Teses do APCBH. A comunidade terá acesso às teses e dissertações na Sala de Consultas do Arquivo, que pode ser acessada mediante agendamento prévio pelo e-mail apcbh@pbh.gov.br ou pelo telefone (31) 3277-4603. Os ouvintes das palestras recebem um certificado de participação.