Pular para o conteúdo principal

Imagem da fachada da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte
Foto: Divulgação PBH

Programa mantém ações preventivas para retirar jovens da trajetória do crime

03/03/2021 | 18:56 | atualizado em 03/03/2021 | 20:16

Em razão da pandemia da Covid-19, os encontros do Programa Territórios  estão sendo feitos de forma virtual desde o ano passado. E para este ano, já estão agendados encontros entre março e junho – evitando assim a suspensão do projeto desenvolvido pela Secretaria Municipal de Segurança e Prevenção nos bairros Alto Vera Cruz, Taquaril e Granja de Freitas. O objetivo é manter os vínculos entre a comunidade, os profissionais e as instituições envolvidas, possibilitando a continuidade de ações de proteção social para o público do programa: jovens em situação de vulnerabilidade social.

Implantado na área denominada como L4 – que engloba os três bairros apontados pelo Relatório de Prevenção à Letalidade Juvenil e de Adolescentes, em 2019, como pontos de maior risco de envolvimento da juventude com a criminalidade –, o Programa Territórios desenvolve ações específicas para a formação de redes de proteção social locais. O Programa é dividido em projetos temáticos, entre eles “Encontros da Rede L4”, que aposta em uma leitura do território a partir do ambiente escolar, voltado para a formação de vínculos entre a escola, os alunos e as famílias com as diversas instituições públicas e civis nele existentes.

Os Encontros da Rede L4 orientam ações voltadas para a mediação e solução de conflitos e para a construção de uma metodologia que parte de conflitos específicos, a serem relatados pelas escolas, para construir casos em contextos mais amplos, apontando para as formas de intervenções possíveis. E que, em curto e médio prazo, permitirão explorar as intersecções entre os fenômenos da evasão escolar, do trabalho infantil e do tráfico de drogas.

Uma série de encontros está programada para ocorrer entre 16 de março e 8 de junho, com a participação de técnicos, professores e servidores que atuam em equipamentos da Regional Leste, além de pesquisadores dos Centros de Pesquisa de universidades parceiras.

 

Veja a programação:

  • 16 de março, às 14 h - Trabalho, Drogas e Tráfico.  
    Convidada: Ana Paula Galdeano (pesquisadora da CEBRAP- USP)
     
  • 13 de abril, às 14 h - O Trabalho como Forma de Proteção para Jovens - Trabalho Protegido.
     
  • 11 de maio, às 14h - Sexualidade e Identidade de Gênero - Construção da Masculinidade.
    Convidados: Servidores de Centros de Saúde locais
     
  • 08 de junho, às 14h   - Metodologia de Trabalho com Redes e Conflitos.


O programa tem a parceria da Secretaria Municipal de Educação, Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública da UFMG (CRISP), Faculdade de Educação da UFMG (FaE), Núcleo PSILACS (Psicanálise e Laço Social no Contemporâneo) da UFMG, AIC - Agência de Iniciativas Cidadãs e #FazDiferença.