Pular para o conteúdo principal

Senhoras sentadas no sofá
Foto: Patrícia Nogueira

Programa Maior Cuidado, da Prefeitura, é finalista do Prêmio Pró-Longevidade

criado em 24/10/2022 - atualizado em 24/10/2022 | 16:34

O Programa Maior Cuidado, da Prefeitura de Belo Horizonte, é um dos três finalistas do Prêmio Pró-Longevidade, organizado pela Rede Longevidade. A iniciativa vencedora será decidida por voto popular, pelo site da instituição, até esta terça-feira (25). O resultado será divulgado nesta quarta-feira (26), dentro da programação do Festival Coletivo Longevidade.

 

As melhores iniciativas foram selecionadas por uma comissão julgadora definida pela Rede Longevidade, incluindo representantes da sociedade civil e pessoas acima de 60 anos. Puderam se inscrever ações de promoção da Longevidade junto a esse público, nas categorias pessoa física ou jurídica.

 

O Programa Maior Cuidado, vinculado à Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, apoia as famílias nos cuidados com as pessoas idosas que vivem em situação de grande vulnerabilidade social, dependentes e semidependentes, para melhorar na qualidade de vida e contribuir para aliviar a sobrecarga do cuidador familiar.

 

A execução do Programa Maior Cuidado é realizada por meio de parceria entre a PBH e o Grupo de Desenvolvimento Comunitário (GDECOM), entidade vinculada ao Sistema Único de Assistência Social (SUAS-BH). O acompanhamento das pessoas idosas e suas famílias é feito por uma equipe multidisciplinar que realiza os atendimentos no domicílio, de acordo com o grau de dependência e suas necessidades sociais.

 

Os cuidadores sociais realizam atividades que estimulam a cognição, a higiene, a alimentação e a locomoção, mudança de posição de pessoas acamadas, atividades que promovam a socialização da pessoa idosa com a família e na comunidade, proporcionando vínculos de afeto e solidariedade. As atividades são desenvolvidas segundo as rotinas de cuidados de Assistência Social e Saúde, planejadas entre as equipes de referência CRAS (PAIF) e do Centros de Saúde por meio das Equipes de Saúde da Família.

 

Em 2021, a equipe do Programa realizou quase 6 mil atendimentos mensais, alcançando 806 pessoas idosas no domicílio. No primeiro semestre de 2022 foram realizados 37 mil atendimentos às pessoas idosas no domicílio.