Pular para o conteúdo principal

Vista lateral do Museu de Arte da Pampulha, com lagoa ao fundo, durante o dia.
Foto: Breno Pataro/PBH

Programa Bolsa Pampulha recebe a artista Rosângela Rennó

25/06/2019 | 20:00 | atualizado em 27/06/2019 | 09:18
O programa Bolsa Pampulha, realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, e pelo Centro de Arte e Tecnologia – JA.CA, promove nos dias 6 e 7 de julho oficina e palestra com a artista Rosângela Rennó, no Museu de Arte da Pampulha (avenida Otacílio Negrão de Lima, 16.585).

 

No dia 6, sábado, de 14h às 18h, acontece a oficina em que os participantes são convidados a levar um conjunto de fotografias, de qualquer repertório, para desenvolver uma linha de pensamento narrativo. O objetivo é refletir sobre o valor do grande volume de imagem produzida nos dias de hoje, o sentido delas e o que a fotografia pode fazer pelo ser humano.

 

No domingo, dia 7, entre 15h e 17h, Rosângela Rennó participa de palestra seguida de bate-papo. Com o tema “Do arquivo à circulação das imagens e de volta para o arquivo”, a artista apresentará alguns de seus trabalhos mais recentes e discutirá sobre as mudanças no estatuto da fotografia, como sua vocação como instrumento de comunicação e a depreciação de seu valor documental.

 

As participações, seja na oficina ou na palestra, são gratuitas e fazem parte da programação do Bolsa Pampulha 2018/2019, que tem o propósito de estimular a produção e a pesquisa em artes visuais na capital mineira, contribuindo para o processo formativo da comunidade artística local e nacional.

 

Rosângela Rennó formou-se em artes plásticas pela Escola Guignard e em arquitetura pela UFMG. É doutora em artes pela Escola de Comunicações e Artes da USP. Sua obra é marcada por apropriação de imagens descartadas, encontradas em mercados de pulgas e feiras, e pela investigação das relações entre memória e esquecimento. Em suas fotografias, objetos, vídeos ou instalações, trabalha com álbuns de família e imagens obtidas em arquivos públicos ou privados. Dedica-se também à criação de livros autorais.

 

 

 Próxima palestra gratuita

No dia 28 de julho é a vez da artista, curadora e pesquisadora Mônica Hoff. Ela é co-fundadora do Espaço Embarcação, em Florianópolis. É mestre em história, teoria e crítica de arte pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e atualmente cursa doutorado em processos artísticos contemporâneos no PPGAV/UDESC. Entre 2006 e 2014, coordenou o programa educativo e as atividades públicas da Bienal do Mercosul, atuando como curadora adjunta na nona edição do evento, em 2013. Desde 2014, realiza, com a curadora Fernanda Albuquerque, o Laboratório de Curadoria, Arte e Educação. Em 2018, em parceria com a curadora Kamilla Nunes, organizou outros dois projetos: Escola Extraordinária e La Grupa. As palestras realizadas ao longo do Bolsa Pampulha são seguidas de bate-papo e ocorrem no Museu de Arte da Pampulha, aos domingos, de 15h às 17h, com entrada gratuita.

 

A Organização da Sociedade Civil Centro de Arte e Tecnologia - JA.CA foi selecionada pela Prefeitura de Belo Horizonte por meio de edital, lançado em julho de 2018, para atuar como parceira na produção do 33º Salão Nacional de Arte / 7º edição da Bolsa Pampulha, no Museu de Arte da Pampulha.