Pular para o conteúdo principal

Prefeitura reforça vacinação e ações de zoonoses

Prefeitura reforça vacinação e ações de zoonoses

14/02/2017 | 16:34 | atualizado em 28/06/2018 | 13:36

A Prefeitura de Belo Horizonte vai reforçar a vacinação contra febre amarela na capital. Também serão intensificadas as ações de zoonoses no Bairro Betânia, Região Oeste, próximo ao Parque Jacques Cousteau e em seu entorno, na região Oeste, para eliminar possíveis focos do mosquito Aedes aegypti. A ação é preventiva. Nesta segunda-feira, dia 13, foi encontrado um primata não humano morto no parque. Foram coletadas amostras biológicas do animal para serem analisadas por laboratório de referência.

Com o objetivo de proteger a população a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) recomendou a interdição do Parque Jacques Cousteau até que o resultado dos exames sobre a morte do primata seja concluído. A Fundação de Parques Municipais acatou a recomendação da SMSA e irá manter o parque fechado pelo período que for necessário.

As medidas de prevenção, que incluem a vacinação e o combate aos focos do mosquito, têm o objetivo de minimizar o risco de transmissão da febre amarela na capital. A intensificação das medidas de prevenção consiste nas seguintes ações:
• Visitas domiciliares, por meio dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS), para orientar moradores da região a se vacinarem contra febre amarela;
• Instalação de posto extra de vacinação na Região Oeste, em local de fluxo de pessoas e fácil acesso da população à vacina;
• Controle vetorial químico (inseticida) nas edificações instaladas no Parque Jacques Cousteau;
• Fornecimento de telas impregnadas com inseticida para instalação nas edificações localizadas dentro do parque;
• Intensificação das vistorias dos Agentes de Combate a Endemias (ACE) nos imóveis localizados no entorno do Parque, com ênfase no bairro Palmeiras.

Além do posto extra que será montado na Região Oeste, a Prefeitura de Belo Horizonte irá instalar mais três postos extras de vacinação nas regiões do Barreiro, Pampulha e Venda Nova. Esses postos extras de vacinação serão definidos tendo como critério a facilidade do acesso e o fluxo de pessoas. Com essas medidas, a SMSA pretende reduzir a sobrecarga dos 150 centros de saúde e ampliar o acesso da população à vacina.

Também haverá reforço na vacinação realizada nos 150 centros de saúde. Serão contratados seis enfermeiros e 82 técnicos/auxiliares de enfermagem. A SMSA identificou 38 Centros de Saúde que estão registrando as maiores demandas pela vacina e, por isso, vão receber um número maior de equipes para a vacinação. A contratação é temporária, com duração de três meses, sendo possível a prorrogação.

É importante reforçar que não há surto de febre amarela em Belo Horizonte. Todas as medidas que estão sendo tomadas têm caráter preventivo e visam à proteção da população da capital. Em Belo Horizonte, só neste ano, 258.402 pessoas já receberam a vacina contra a febre amarela. Até o momento a capital já recebeu 680 mil doses da vacina. No ano passado, foram vacinadas 140 mil pessoas contra a doença. A vacina é a principal forma de se prevenir contra a febre amarela e duas doses são suficientes para garantir a proteção.

Telagem contra Aedes aegypti
Nesta terça-feira, dia 14, a partir das 9h30, a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, começa a instalar telas com inseticidas na UPA Venda Nova (Rua Padre Pedro Pinto, 175, Venda Nova), com o objetivo de impedir a entrada de Aedes aegypti na unidade, protegendo usuários e trabalhadores.

Desde janeiro, a PBH já instalou telas no Hospital Eduardo Menezes e Hospital Infantil João Paulo II (FHEMIG). Após a telagem da UPA VN, as demais Unidades de Pronto Atendimento (UPA) da capital começam a receber as telas. Belo Horizonte iniciou de forma pioneira a telagem de residências, priorizando na primeira fase as casas de gestantes. Ao todo, já foram instaladas 730 telas em todas as regiões da capital.