Pular para o conteúdo principal

 Em Pernambuco, Belo Horizonte participa de conferência internacional para debater resíduos sólidos
Foto: Divulgação

Prefeitura participa de conferência internacional para debater resíduos sólidos

criado em 18/03/2022 - atualizado em 18/03/2022 | 15:33

Com o objetivo de debater a gestão de resíduos sólidos de forma multissetorial e seus impactos nas mudanças climáticas, a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, esteve presente na primeira Conferência Internacional de Resíduos Sólidos (CIRSOL). 

O evento, realizado em Recife entre os dias 16 e esta sexta-feira, contemplou uma vasta programação, realizada de forma híbrida, com palestras presenciais e virtuais, que reuniu a comunidade acadêmica e científica de diversos países, bem como especialistas e profissionais com atuação no setor. 

Os resíduos sólidos são fontes de emissão de gases de efeito estufa (GEE), não apenas pela sua relação com a produção e o consumo, mas também em função das emissões de metano (CH4) quando dispostos em lixões ou mesmo em aterros sanitários. 

A busca de soluções para o gerenciamento adequado dos resíduos sólidos tem sido um desafio tanto para o setor público como para o setor privado, sobretudo nas cidades grandes. Do ponto de vista ambiental, há grande preocupação no que concerne à poluição dos recursos do solo, ar e água, assim como na compreensão dos mecanismos de biodegradação da massa de resíduos e sua influência nas mudanças climáticas e, por extensão, na vida das populações. 

Nacionalmente reconhecida pelo protagonismo em políticas climáticas, Belo Horizonte conta com um Inventário de Emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE) atualizado, com o instrumento de análise de riscos e vulnerabilidade climática, além de toda a base diagnóstica do consumo de energia e recursos hídricos da cidade. Além disso, em 2021, a cidade aderiu à campanha global Race to Zero, assumindo a meta de neutralização do carbono até 2050. O Plano de redução das emissões de GEE (PREGEE) também foi revisado, para acompanhar as demais ferramentas na mitigação das emissões. 

O secretário municipal de Meio Ambiente, Mário Werneck, destaca as estratégias de mobilização e elaboração dos cenários futuros de emissões de GEE como um reforço do pioneirismo de Belo Horizonte nesta pauta, colocando o município como referência nacional em mudanças climáticas.

Em todos os lugares onde vamos para tratar deste assunto, Belo Horizonte é citado como um caso de sucesso em enfrentamento às mudanças climáticas. Já estamos deixando um legado, fruto dos esforços desdobrados para cercar a problemática que é a emissão de combustíveis fósseis. Belo Horizonte é a nossa casa; precisamos cuidar dela da melhor maneira para que outras gerações possam desfrutar de seus recursos com qualidade e sustentabilidade”, afirma.