Pular para o conteúdo principal

Cinco idosos sentados em cadeiras plásticas e segurando copos; uma das senhoras sorri.
Foto: Zaira Magalhães/PBH

Prefeitura oferece cuidados e lazer para os idosos dentro e fora das ILPIs

13/08/2018 | 15:04 | atualizado em 13/08/2018 | 15:04
A senhora Nice, 85 anos, contagia a todos com o seu semblante. Residente do Lar Frei Zacarias, uma das instituições de longa permanência parceiras do Município na execução de serviços assistenciais, ela faz questão de manifestar a sua alegria com os cuidados que recebe na instituição. “Estou feliz porque sou uma mulher muito abençoada. Já vivi muito e hoje não me falta nada. No meu lar eu me alimento, tomo remédios e todos me tratam bem!”, garante. 
 
Mas, para além dos cuidados básicos, a rotina dos idosos nas instituições inclui diversas iniciativas que também contribuem para que todos tenham uma vida melhor. A senhora Nice, por exemplo, foi uma das 125 participantes do projeto Bem Viver – edição Dia dos Avós, evento que reuniu idosos de 12 instituições numa tarde de atividades culturais, no Centro de Referência da Pessoa Idosa, uma das alternativas de lazer e entretenimento oferecidas. 
 
Magda Nunes, assistente social do Lar Dona Paula, destaca a importância de ações externas e periódicas para o dia a dia dos idosos que atende. “As instituições oferecem várias atividades e promovem o cuidado cotidiano do idoso. Mas socializar, sair daquele lugar no qual se fica 24 horas, areja as ideias. Isso precisa ser frequente! Já estamos na quarta edição do Projeto, iniciado com a comemoração do Dia dos Avós, em julho passado”, conta. 
 

Ginástica e música

A educadora física Virgínia Coelho, servidora do Centro de Referência, visita semanalmente três instituições, oferecendo aulas de ginástica com posturas e respiração típicos da Yoga, alongamentos e atividades de fortalecimento. “A aula dura de 20 a 50 minutos. Essa variação é relacionada à nossa preocupação com o conforto dos usuários. Após a aula, conversamos bastante e eles me contam as suas histórias”, relata. 
 
O projeto Voz e Violão oferece aulas de canto e violão para as pessoas idosas frequentadoras do Centro. O grupo visita as instituições e faz apresentações musicais para os idosos internos, tocando e cantando músicas que marcaram a história dessas pessoas. “A gente divide a nossa alegria, trocando experiências e relembrando, através das músicas da época deles, as boas histórias da vida de cada um”, destaca o músico Hugo Lima, professor idealizador do projeto.
 

Centro de Referência 

Leandro Campos coordena o Centro de Referência e reforça a sua disponibilidade no atendimento dos idosos relacionados às instituições de permanência. “Os eventos de integração entre as pessoas preservam a cidadania e a participação social. Trabalhamos para garantir os direitos e a dignidade das pessoas idosas de todas as origens e condições”, diz. O gestor afirma que, ainda este ano, será criada uma turma do projeto Voz e Violão com vagas exclusivas para os idosos das instituições de longa permanência. Ela será realizada nas dependências do Centro.

As instituições de permanência recebem pessoas a partir de 60 anos, independentes de cuidadores ou com algum grau de dependência. Idosos em situação de violência, negligência, abandono ou com vínculos familiares fragilizados são o público atendido. Ao todo, a gestão municipal conta com 24 instituições parceiras, 1 república e 1 casa-lar (as duas últimas recebem somente idosos independentes), atendendo mais de 800 cidadãos. 
Todas as atividades oferecidas pelo CRPI são gratuitas e abertas a pessoas a partir de 60 anos.

Centro de Referência da Pessoa Idosa 
Rua Dom Pedro II, 3250 – Caiçara (entrada pela Rua Perdizes, 336)
Horário de funcionamento: de segunda a sábado, das 8h às 17h
Telefone: (31) 3277-7164
E-mail: crpi@pbh.gov.br
 

13/08/2018. Acolhimento para idosos dentro e fora das instituições de longa permanência. Fotos: PBH/Divulgação