Pular para o conteúdo principal

Montagem de várias fotos mostrando a cultura de povos tradicionais
Foto: Ricardo Laf

Prefeitura lança revista com reflexões sobre a cultura de povos tradicionais

14/12/2020 | 17:46 | atualizado em 14/12/2020 | 18:11

A Secretaria Municipal de Cultura e a Fundação Municipal de Cultura publicaram nesta segunda-feira, dia 14, a 2ª edição da Coleção Cultura e Pensamento, publicação editorial voltada a promover reflexões a partir de iniciativas do setor público na área cultural. Esta edição apresenta as reflexões construídas no âmbito do seminário “As cidades e o sagrado dos povos tradicionais: território, identidades e práticas culturais”, realizado junto ao projeto “Jardins do Sagrado, cultivando insabas que curam”, na programação do X Festival de Arte Negra - FAN-BH, em 2019. A Coleção está disponível em formato digital e pode ser acessada por meio do portal PBH.

A publicação atual apresenta reflexões importantes para a salvaguarda dos saberes tradicionais no meio urbano, especialmente indígenas e de terreiro. A partir do olhar especializado de atores com experiência nessas tradições, evidencia-se a dimensão intersetorial da política de salvaguarda do patrimônio imaterial. Essa política reforça a mobilização das comunidades tradicionais pela garantia dos direitos da cidadania, por meio do exercício de suas práticas culturais, e para que se reconheçam e sejam reconhecidas na cidade.

A revista é mais um marco da política de proteção ao patrimônio cultural do município. O projeto “Jardins do Sagrado, cultivando insabas que curam”, que dá origem à publicação, constitui-se como uma ação de salvaguarda dos bens culturais de matriz africana e indígena, reconhecidos como patrimônio imaterial da cidade pelo Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município de Belo Horizonte. Entre os bens que receberam o registro imaterial em Belo Horizonte estão os quilombos Mangueiras, Luízes, Manzo Ngunzo Kaiango e, mais recentemente, o Souza; a Irmandade Nossa Senhora do Rosário do Jatobá; o terreiro de candomblé Ilê Wopo Olojukan e as Festas dos Pretos Velhos e de Iemanjá.

 

A Coleção

A “Coleção Cultura e Pensamento” nasceu do desejo de promover reflexões e debates sobre temas relevantes para a compreensão do Brasil e do mundo contemporâneo, no âmbito do Programa Cultura e Pensamento. A primeira edição reúne parte considerável dos debates realizados no Encontro Internacional Arte, Cultura e Democracia no Século XXI, em agosto de 2019. A publicação convida a reflexões que remetem a questões importantes sobre a contemporaneidade.

A secretária Municipal de Cultura e presidenta interina da Fundação Municipal de Cultura, Fabíola Moulin, salienta que a criação da Coleção Cultura e Pensamento é uma ação que se alinha ao compromisso de fortalecer, na área cultural, uma política pública que tenha como um de seus pilares a disponibilização gratuita e a democratização de acesso ao conhecimento. “Nos conteúdos apresentados nesta edição, os leitores terão a chance de aprofundar o conhecimento sobre como se dá a presença das comunidades ligadas aos bens culturais de matriz africana e indígena na nossa cidade, entendendo a indispensável necessidade da atuação do poder público na salvaguarda desses bens”, conclui.