Pular para o conteúdo principal

Prefeitura e parceiros realizam edição especial da Feira de Agricultura Urbana
Foto: Amira Hissa

Prefeitura e parceiros realizam edição especial da Feira de Agricultura Urbana

criado em 26/10/2021 - atualizado em 26/10/2021 | 16:57

Na próxima quinta-feira, 28 de outubro, a Prefeitura de Belo Horizonte realiza uma edição especial da Feira de Agricultura Urbana. A atividade faz parte do II Seminário Internacional de Segurança Alimentar e Nutricional de Belo Horizonte e começa a funcionar às 8h, na rua Goiás. 

A Feira da Agricultura Urbana e Familiar acontece desde julho deste ano com pontos de comercialização de hortifrutigranjeiros, folhosas,  raízes,  ervas e  frutas, além de flores, sementes e outros gêneros da terra. 

Além dos agricultores que comercializam semanalmente, a Central de Abastecimento da Agricultura Familiar e Urbana (CAFA), a Associação Horizontes Agroecológicos e agricultores familiares mobilizados pela EMATER farão a comercialização  de produtos como açúcares, artesanato, bebidas, bolos, castanhas, cereais e derivados, conservas, café, doces, farinhas, feijão, geléias, mel, queijo e quitandas. Serão ao todo 12 barracas com a diversidade dos produtos da gastronomia mineira, possibilitando a comercialização direta de quem produz para quem consome. 

A Feira 

A Feira de Agricultura Urbana oferece para a cidade a comercialização direta de quem produz, para quem consome. O Circuito é composto pelos pontos na região central, na rua Goiás, às quintas-feiras, com quatro agricultores, e pelos pontos de venda distribuídos em seis regionais da cidade. 

O foco são alimentos saudáveis e típicos da cultura alimentar mineira e belo-horizontina cultivados com os princípios da agroecologia nas Unidades Produtivas de Agricultura Urbana apoiadas pela Prefeitura, por meio da Subsecretaria de Segurança Alimentar e Nutricional. 

A implantação dos Circuitos Curtos de Comercialização é uma ação estratégica de fomento à agricultura familiar e urbana agroecológica e à construção social de mercados, evitando atravessadores e contribuindo para a redução de desperdícios de alimentos, aumento da produção, o acesso e o consumo de alimentos saudáveis e sustentáveis, assim como à geração de renda para quem mais precisa e preços justos para os consumidores e agricultores.