Pular para o conteúdo principal

PBH promove ação interativa contra exploração sexual de crianças e adolescentes
Foto: Divugação / PBH

PBH promove ação interativa contra exploração sexual de crianças e adolescentes

22/05/2019 | 17:49 | atualizado em 24/05/2019 | 10:36

Dentro da programação do mês de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania realizou, na segunda-feira, dia 20, uma ação interativa com os alunos das Escolas Municipais Senador Levindo Coelho e Israel Pinheiro, na Praça João Lobeira, no Alto Vera Cruz, região Leste da cidade.

 

De forma divertida, as equipes trabalharam a temática com grupos de crianças, adolescentes e adultos, que participaram da discussão sobre o tema, salientando a importância da participação de todos no enfrentamento da violência e da exploração sexual de crianças e adolescentes.

 

Dona Alvina Santos, 68, disse que cuida dos netos para a filha trabalhar e nunca imaginou que as estatísticas apontassem para um número maior de abusos e violência contra crianças e adolescentes no ambiente familiar. “A gente não acha que essas coisas vão acontecer dentro da nossa casa e eu nunca imaginei que a maioria dos casos acontece com gente da família, então temos que prestar mais atenção nas crianças”, considerou.

 

A adolescente Maria Antônia, 13 anos, disse que está sempre atenta e lembrou que é bom observar as coleguinhas e os coleguinhas. “A professora sempre fala sobre os nossos direitos e a gente sabe que tem muito adulto que faz coisa errada e ainda ameaça, então eu sempre observo se tem alguém triste, muito quieta na aula né, porque pode ser que esteja sofrendo abuso e tem medo, vergonha de contar”, afirmou.

 

 

Nem de brincadeira

Com as crianças da creche Israel Pinheiro, os técnicos e educadores fizeram rodas de conversas e, de maneira recreativa, ensinaram para os pequenos como agir para evitar abusos, com dinâmicas formadas por perguntas e respostas, como: “A gente pode ter segredo com a mamãe e com o papai? - Nem de brincadeira” ou “Criança beija na boca? - Nem de brincadeira”.

 

Depois da pipoca e cantigas de roda, referentes ao tema, as crianças e os adolescentes distribuíram material informativo aos adultos e fizeram apresentações de dança e capoeira.

 

O coordenador de Atendimento Regional Leste, José Henrique de Oliveira Neto, ressaltou a importância do envolvimento de todos os setores nas ações de conscientização e sensibilização da população. “Esta é uma causa abraçada por todas as políticas públicas da Prefeitura de Belo Horizonte, porque afeta diretamente o futuro, que são nossas crianças e adolescentes. Então, temos que envolver a Saúde, a Educação, a Segurança, a Cultura, e todas as equipes da Assistência Social para identificar o problema, denunciar e alertar a população para a gravidade da situação e importância das ações de combate ao abuso sexual e violência contra as crianças e os adolescentes”, afirmou.

 

A coordenadora do CRAS-Alto Vera Cruz, Gabriela Regina de Souza Araújo Ferraz, fez questão de frisar que o trabalho tem que ser feito durante todo o ano. “É importante lembrar que a temática tem que ser tratada ao longo do ano, não só com as crianças e adolescentes, mas, também com os adultos, já que a própria criança não tem a percepção da gravidade do problema. Todos os profissionais que lidam com esse público, nas escolas, nos centros de saúde, nos diversos setores, podem identificar uma situação de suspeita ou confirmação de violências e acionar os canais próprios de defesa desse público”, alertou.

 

O diretor Regional de Assistência Social Leste, Ricardo Marcelo Fait Gorchacov, destacou o papel da sociedade. “Nossa função é alertar a sociedade de que a violência e o abuso sexual contra as crianças e os adolescentes é uma constante e os números são altos. Por isso a sociedade deve ficar atenta e denunciar o vizinho, o parente ou qualquer pessoa, quando perceber que tem alguma coisa errada acontecendo”, assinalou.   

 

A ação intersetorial reuniu as equipes do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Alto Vera Cruz, da Academia da Cidade, do centro cultural, centro de saúde, Fica Vivo, Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, Conselho Tutelar, Diretoria de Educação, Conselho Tutelar e servidores da coordenadoria regional

 

 

Onde denunciar

Conselhos Tutelares Regionais

Regional Barreiro: 3277-8925

Regional Centro-Sul: 3277-4757

Regional Leste: 3277-4407

Regional Nordeste: 3277-6122

Regional Noroeste: 3277-7168

Regional Norte: 3277-6655

Regional Oeste: 3277-7008

Regional Pampulha: 3277-7970

Regional Venda Nova: 3277-5512

 

Denúncias anônimas podem ser feitas também pelo DISQUE 100, que funciona 24 horas – inclusive nos fins de semana e feriados.

Últimas Notícias

Mais de cinquenta pessoas, sentadas em círculo, conversam, durante o dia. Venda Nova, Barreiro e Pampulha realizam pré-conferências de Assistência Social
As discussões e estarão ancoradas pela temática “Assistência Social: Direito do Povo com Financiamento Público e Participação Social".
19/08/2019 | 19:46
Casal em frente a uma barraca de tração de churrasquinhos Abertas inscrições para 600 vagas para o comércio nas ruas

As inscrições para licenciamento de comércio em veículos de tração humana, automotores e foodbikes estão abertas a partir do dia 19/8.

13/08/2019 | 20:40