Pular para o conteúdo principal

Mão feminina recebe muda de planta.
Foto: Stênio Lima/PBH

PBH incentiva a produção de alimentos agroecológicos em comunidades

13/08/2019 | 16:40 | atualizado em 14/08/2019 | 10:39

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, está atuando para estimular a produção e comercialização de alimentos saudáveis no Município, especialmente em áreas que apresentam maior vulnerabilidade social.  As ações, que compõem o programa Territórios Sustentáveis, estão sendo realizadas inicialmente na região da ocupação Izidora, nas comunidades Vitória, Esperança e Rosa Leão, e envolvem também o Quilombo Mangueiras. As estratégias são definidas em conjunto com os moradores.

 

O programa está sendo desenvolvido desde 2017 nessas comunidades e, durante todo o mês de julho, equipes técnicas da Subsecretaria de Segurança Alimentar e Nutricional realizaram um diagnóstico participativo para definir a melhor forma de fortalecer o programa em cada local. Nesse processo, os moradores e moradoras indicaram as principais necessidades e dificuldades enfrentadas pela comunidade para alcançar uma alimentação de qualidade e potencializar a produção de alimentos de uma forma sustentável associada à conservação ambiental e à geração de renda.

 

As questões apontadas com mais frequência pelos participantes das oficinas foram o preço dos alimentos, a distância até os pontos de comercialização, a presença de pragas nos quintais, o descarte irregular de lixo na região e a degradação de nascentes. A partir das demandas, a Prefeitura construirá, junto com os moradores, um Plano de Ação Local em cada uma das comunidades, indicando, de forma integrada e participativa, o que será realizado em cada território.

 

“Depois do diagnóstico, vamos juntos olhar para as formas de resolvermos os problemas e desafios levantados, com base tanto em nossa cartela de serviços institucionais, que conciliam recursos da Subsecretaria de Segurança Alimentar e Nutricional, de parceiros internos, como a Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, e externos, como Emater e Copasa, além do apoio das comunidades e parceiros da sociedade civil. Avançaremos juntos para criar soluções efetivas”, explica a subsecretária de Segurança Alimentar e Nutricional, Darklane Rodrigues.

 

Josinete dos Santos, moradora da comunidade Rosa Leão, participou de um dos encontros pela primeira vez e tinha a intenção de saber mais sobre formas de plantio e cuidados com as plantas, mas saiu surpreendida. “Eu vou aprender um pouquinho a mais. Vim do interior e já tinha mexido com as plantas, mas ainda sinto que posso melhorar o plantio das coisas que gosto aproveitando o espacinho do meu terreno. É bom apontar o que pode ser melhorado na nossa comunidade”, contou.

 

Outro ponto de diálogo entre Prefeitura e as comunidades foi o mapeamento participativo de possíveis pontos de comercialização de alimentos saudáveis dentro de cada um dos territórios. O assessor da Subsecretaria de Segurança Alimentar e Nutricional, João Portella, explica: “Estamos realizando em conjunto com as comunidades a escolha de locais estratégicos para implantação de pontos de comercialização de alimentos agroecológicos produzidos localmente. Já realizamos as primeiras oficinas, com base na metodologia de cartografia social, e os resultados foram admiráveis”, afirmou.

 

 

Territórios sustentáveis

O programa Territórios Sustentáveis foi criado em 2017 com o objetivo de incentivar e promover ações agroecológicas em territórios com alto grau de vulnerabilidade social. Entre essas ações estão a plantação de hortas e pomares comunitários, o fornecimento de mudas e sementes, o apoio no desenvolvimento e consolidação de quintais produtivos, o fortalecimento de ações de produção integradas com a conservação ambiental, a oferta de oficinas de formação e o apoio no o processo de organização para a comercialização quando a produção excede o consumo doméstico.

 

 

13/08/2019. Territórios sustentáveis. Fotos: Stênio Lima/PBH


Últimas Notícias

Fachada do Iate Tênis Clube, com Lagoa da Pampulha na frente, durante o dia. PBH defende a demolição do Anexo do Iate Tênis Clube para proteger o patrimônio

A Prefeitura de Belo Horizonte defende na Justiça a demolição do Anexo do Iate Tênis Clube para proteger patrimônio cultural da cidade.

18/11/2019 | 13:47
Arara-azul-de-lear em cima de um galho, durante o dia. Zoológico de BH participa de plano nacional de conservação da arara-azul-de-lear

Plano de Ação Nacional de conservação da arara-azul-de-lear inclui as seis aves do Jardim Zoológico de BH.

18/11/2019 | 11:42