Pular para o conteúdo principal

Mais de oito barracas enfileiradas com prédios ao lado, durante o dia
Foto: Stênio Lima/PBH

PBH e TJMG inauguram feira de economia solidária e produtiva

03/05/2019 | 22:24 | atualizado em 06/05/2019 | 20:53

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, e o Tribunal de Justiça de Minas Gerais inauguram, na próxima segunda-feira, dia 6, às 11h15, a Feira de Artesanato, Alimentação e Confecção. A iniciativa é uma parceria das duas instituições com o objetivo de promover a inclusão social e produtiva na cidade.

 

O evento de inauguração será no Tribunal de Justiça de Minas Gerais, na avenida Afonso Pena, 4001, Serra. As próximas edições da Feira de Artesanato, Alimentação e Confecção serão realizadas mensalmente, das 9 às 16h, em três locais: na sede do Tribunal de Justiça (avenida Afonso Pena, 4001, Serra), no Fórum Lafayette (avenida Augusto de Lima, 1549, Barro Preto) e no Fórum Raja Gabaglia (avenida Raja Gabaglia, 1753, Luxemburgo).

 

A feira é formada por artesãos e de empreendedores da alimentação e confecção do Programa Espaço da Cidadania (PEC), da Subsecretaria de Direito e Cidadania, vinculada à Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, e do Centro Público de Economia Solidária, da Subsecretaria de Trabalho e Emprego da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico. A feira vai reunir 20 grupos do Espaço da Cidadania e 20 grupos da economia solidária do Cepes.

 

 

Programa Espaço da Cidadania (PEC)

O Programa Espaço da Cidadania (PEC) é desenvolvido pela Subsecretaria de Direito e Cidadania e tem como foco principal a formação, promoção e socialização de segmentos da sociedade civil atendidos pela Subsecretaria de Direito e Cidadania:  população idosa, pessoas com deficiência, mulheres, grupos étnico-raciais, jovens e LGBT. O PEC tem também como foco a vulnerabilidade social, buscando a inclusão social e produtiva do público-alvo.  Entre as ações realizadas pelo PEC estão as feiras, como a que está sendo desenvolvida em parceria com o Tribunal de Justiça, que têm como objetivo comercializar produtos artesanais, manuais e semi-industrializados para oportunizar renda para os públicos atendidos.

 

 

Cepes

O Centro Público de Economia Solidária (Cepes) da Subsecretaria de Trabalho e Emprego da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico tem como objetivo promover o fortalecimento e a divulgação da economia solidária, mediante políticas integradas, visando a geração de trabalho e renda, a inclusão social e a promoção do desenvolvimento justo e solidário. Baseados nos princípios de autogestão, cooperação e solidariedade, os grupos estimulam a formação de redes de relações sociais que reduzam a dependência do mercado. A Prefeitura de Belo Horizonte trabalha para fortalecer o movimento de economia solidária através de capacitações e apoio na busca de espaços de comercialização dos produtos.

 

O Cepes conta com 250 grupos cadastrados e ativos na capital, beneficiando 750 famílias. Os grupos produzem desde peças decorativas em madeira, bijuterias e acessórios recicláveis, a kits para banheiros, roupas infantis, biscoitos, doces, compotas, entre outros. A Economia Popular Solidária (EPS) é formada por organizações econômicas coletivas e suprafamiliares, compostas de pelo menos três trabalhadores urbanos ou rurais.