Pular para o conteúdo principal

Casa de acolhimento de gestantes e puérperas
Adão de Souza/PBH

PBH cria casa para acolher gestantes e puérperas em situação de rua

criado em 12/09/2022 - atualizado em 12/09/2022 | 16:24

A Prefeitura de Belo Horizonte inaugurou neste mês a primeira casa de acolhimento para gestantes e puérperas em situação de rua no município. Instalada em imóvel próprio da PBH, no Bairro Betânia, na região Oeste, a unidade tem capacidade para acolher até 20 pessoas, que poderão morar no espaço durante a gestação e puerpério – o que garante às gestantes, mães e bebês proteção social e acompanhamento médico no período.

 

O serviço ainda busca preservar os cuidados dos bebês junto de suas mães e efetivar o direito à convivência familiar. No caso das grávidas, há o acompanhamento do pré-natal. E para as puérperas, são garantidos todos os cuidados pós-nascimento, considerando as diretrizes da Política de Redução de Danos, gerando a integralidade de proteção social necessária.

 

O trabalho social é desenvolvido pela equipe de referência da unidade, composta por mais de 20 trabalhadores, entre coordenação, cuidadores, assistentes sociais e psicólogos. Esses profissionais auxiliarão no desenvolvimento da autonomia dessas mulheres em vulnerabilidade social, o que inclui a possibilidade de encaminhamento para vagas de emprego e acesso à rede de educação.

 

Outra importante estratégia é o referenciamento para outros serviços, programas, projetos, benefícios socioassistenciais, acesso ao cadastro único para inclusão ou atualização, transferência de renda e demais políticas públicas, como saúde, esportes, trabalho e renda, cultura e lazer.

 

A gestão da unidade e a execução do serviço será realizada em parceria com a Agência de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais Sudeste Brasileira (ADRA). Os investimentos do município nesta unidade foram de R$ 541 mil, referentes à reforma do espaço, executada pela Sudecap. Para a efetivação do serviço continuado, o investimento será de R$ 1,37 milhão.

 

As equipes do Serviço Especializado de Abordagem Social e do Consultório na Rua que já acompanham esse público mapeia os casos de mulheres grávidas ou puérperas e faz o encaminhamento para o serviço daqueles casos que se encaixam na modalidade de atendimento.