Pular para o conteúdo principal

A foto mostra o detalhe de uma mão aplicando uma vacina em um braço.
Foto: Rodrigo Clemente

PBH amplia esforços para imunizar as crianças contra sarampo e poliomielite

22/08/2018 | 19:27 | atualizado em 01/11/2018 | 17:12

Para intensificar os trabalhos da Campanha de Vacinação contra sarampo e poliomielite, a Prefeitura de Belo Horizonte realiza imunização nas Unidades Municipais de Educação Infantil (Umeis). O foco são as crianças maiores de 1 ano e menores de 5 anos de idade, matriculadas que ainda não tenham tomado a dose de reforço da Campanha. A meta é atingir a cobertura vacinal de 95%. A campanha termina no dia 31/08.

Em uma ação conjunta entre as secretarias municipais de Saúde e de Educação, por meio do Programa Saúde nas Escolas, as vacinas contra sarampo e pólio têm sido aplicadas mediante autorização prévia dos pais e responsáveis. Nesta quinta-feira, dia 23, a ação será realizada na UMEI Santa Maria (rua João Batista Vieira, 720, bairro Camargos), a partir das 9h30. Haverá fonte disponível para atendimento à imprensa.

Segundo o balanço de vacinação, entre os dias 6 e 18 de agosto, 46,3% das crianças foram vacinadas contra pólio e 45,8%, contra sarampo. O público-alvo desta Campanha é formado por 109.438 crianças e a meta da Secretaria Municipal de Saúde é atingir a cobertura vacinal de 95% deste público.

Jandira Lemos, assessora da Diretoria de Promoção à Saúde da SMSA, alerta para a importância dos pais e responsáveis vacinarem as crianças e chama a atenção para a quantidade de notícias falsas que circulam pela internet e enfraquecem o chamado da Secretaria Municipal de Saúde. “Não acreditem nas fake news, busquem se informar pelos canais oficiais. A vacina é segura e só por meio da imunização é possível manter essas doenças longe do país”, afirmou.

As vacinas estão disponíveis em todos os Centros de Saúde da capital. É muito importante que pais e/ou responsáveis, ao procurar uma unidade de saúde, apresentem a caderneta de vacinação, para que a situação vacinal seja avaliada pelo profissional de saúde. Esse trabalho conta com o apoio do Rotary Club de Belo Horizonte.