Pular para o conteúdo principal

Homem, de pé, com microfone na mão, palestra para cerca de vinte pessoas, sentadas, ao fundo.
Foto: Divulgação PBH

Palestra oferecida na PBH aborda fisioterapia preventiva com foco na coluna

29/03/2019 | 17:39 | atualizado em 29/03/2019 | 17:41

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão, promoveu na quarta-feira, dia 27 de março, a 1ª edição do projeto Diálogo de Bem-Estar, com o tema Fisioterapia Preventiva. O objetivo do evento, realizado pelo Núcleo de Educação em Saúde da Gerência de Saúde do Servidor e pelo programa Movimenta PBH, foi trabalhar esse ramo da Fisioterapia, ainda pouco conhecido, e apresentar sua importância no auxílio aos indivíduos para que sejam evitados problemas crônicos na coluna vertebral.

 

Desenvolvido em parceria com a Associação dos Servidores Municipais da Prefeitura de Belo Horizonte (Assemp), o encontro foi voltado para servidores e contou com as orientações do fisioterapeuta Gustavo Henrique de Oliveira, pós-graduado em fisioterapia esportiva pela UFMG e membro da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva, com formação em Pilates e Quiropraxia.

 

A palestra abordou algumas patologias e sintomas relacionados à coluna, como lombalgia, cervicalgia, hérnia de disco e dor ciática, com foco principal na prevenção e informação sobre o tema. “Podemos intervir, de forma a não chegar nas doenças expostas, por meio de atividades físicas e de uma postura adequada. Além disso, devemos manter hábitos saudáveis,  como não fumar, ter noites de sono confortáveis e utilizar um bom colchão, que suporte a carga do seu corpo e que mantenha as estruturas em alinhamento adequado”, explicou o fisioterapeuta.

 

Há três anos, a servidora Nara Ribeiro, assistente administrativo na Secretaria de Planejamento, descobriu o poder da fisioterapia. Ela conta que, aos 24 anos, recebeu o diagnóstico de esclerose múltipla e, desde então, faz exercícios diariamente para ajudar a controlar a doença. “Acordei sem conseguir levantar da cama. Segundo meu médico, conseguiria voltar a andar com a ajuda de Deus, da medicação e da fisioterapia correta. Segui as orientações e, além dos remédios, fazia os exercícios todo santo dia, na clínica e em casa. Daí comecei a andar em um mês”, contou a servidora.

 

Segundo Nara, a fisioterapia mudou a sua vida. “Antes, achava que era só exercício bobo, mas depois percebi sua importância, principalmente a preventiva, que pode evitar sequelas após surtos da doença”, relatou. Sobre a palestra, a servidora disse que, assim que soube, se inscreveu.  “Tudo sobre coluna me interessa. Hoje, nesse encontro, aprendi sobre a importância dos exercícios para o fortalecimento da coluna, dos processos fisiológicos e dos alertas relacionados ao uso das cintas”, assinalou.

 

 

Oficina

Após a palestra, os servidores foram convidados a participar das oficinas práticas, que acontecerão em horários alternados na próxima semana. De acordo com o fisioterapeuta, serão trabalhados exercícios físicos com recursos mínimos para que o participante também possa fazer em casa. “A única coisa que vamos utilizar é um colchonete”, explicou o especialista.

 

Ele alerta que subir e descer escada e se deslocar até o trabalho não podem ser considerados atividades físicas. “São atividades de vida diária. Para ser considerado um exercício você tem que se preparar com uma roupa adequada e se direcionar para aquela tarefa”, completou.

 

 

Próximo encontro

Segundo a servidora Cássia Mendes, da Gerência de Saúde do Servidor, o projeto Diálogo de Bem-Estar tem por objetivo abordar temas de interesse do servidor voltados à promoção da saúde. Além de atividades que ocorrerão ao longo do ano, a próxima palestra, também em parceria com a Assemp, está prevista para o segundo semestre de 2019 e abordará o tema saúde mental.