Pular para o conteúdo principal

Novembro preto: BH sem racismo
Arte: PBH

Novembro Preto marca a luta pela igualdade racial em Belo Horizonte

19/11/2019 | 18:01 | atualizado em 21/11/2019 | 11:32

Com o tema “Territorialidades”, a Prefeitura de Belo Horizonte promove uma série de atividades ao longo de todo o mês para marcar o Dia Municipal da Consciência Negra. A programação do “Novembro Preto: BH Sem Racismo” inclui debates, formações e atividades de lazer. As atividades são organizadas pela Diretoria de Políticas para a Igualdade Racial, em parceria com uma rede de apoio composta por movimentos sociais, grupos culturais e outros atores de luta pela igualdade racial da cidade.

 

Na quarta-feira, dia 20 de novembro, uma extensa programação celebra a consciência negra na cidade. Às 9h, acontece a solenidade para reinauguração da placa do monumento “Liberdade e Resistência”, de autoria do artista plástico Jorge dos Anjos (MG). O monumento é um símbolo da luta do povo negro pela igualdade entre os brasileiros e uma homenagem ao tricentenário de Zumbi dos Palmares. A placa volta para a avenida Brasil (esquina com rua Manaus), 41 – Santa Efigênia. No mesmo horário, a diretora de Políticas para a Igualdade Racial, Makota Kisandembu, participa da coletiva de imprensa de lançamento do Mood – Festival de Moda de Belo Horizonte, no Museu da Moda.

 

Também às 9h, a III Marcha em prol da Igualdade Racial, organizada pelo Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Coqueiral e escolas da região, seguirá pelo bairro Pindorama, na região Noroeste da cidade. Às 12h, a diretora de Políticas para a Igualdade Racial, Makota Kisandembu participa do “Seminário da Consciência Negra – O enfrentamento do Racismo Estrutural e Institucional”, na Sede OAB, rua Albita, 250 – Cruzeiro.

 

O CRAS Novo Ouro Preto (rua Nízio Torres, s/nº – Novo Ouro Preto) promove a roda de conversa “Diversidade racial”, às 14h. No mesmo horário, no CRAS Independência (rua Água da Vida, 14 – Independência) acontece a oficina de Abayomi “Família, autocuidado e afeto: Uma perspectiva das mulheres negras e latino-caribenhas”.

 

Com o apoio da Diretoria de Políticas para a Igualdade Racial, a PUC Minas – unidade Coração Eucarístico (rua Dom José Gaspar, 500 – Dom Cabral) – recebe a mesa temática “Candomblé e resistência negra”, às 18h. E fechando as atividades do Dia Municipal da Consciência Negra, o 10º Prêmio Zumbi de Cultura, no Sesc Palladium (avenida Augusto de Lima, 420 – Centro). A programação segue até 29 de novembro.

 

Segundo a diretora de Políticas para a Igualdade Racial, Makota Kinsandembu, o principal objetivo desta ação é provocar a reflexão sobre a importância do povo negro e da cultura de matriz africana na construção e na identidade da cidade de Belo Horizonte, com impacto no desenvolvimento cultural brasileiro. As atividades promovidas buscam, também, evidenciar os problemas sociais que ainda afligem essa parcela de cidadãos, que soma 53% da população da cidade.

 

 

Cardápio especial nos Restaurantes Populares

O almoço nos Restaurantes Populares também celebrará a Consciência Negra e a culinária de matriz africana. O cardápio servido terá Cozido à Moda Quilombola (músculo, paio, molho shoyu, cebola, mandioca, tomate, pimentão, milho verde, extrato de tomate), omelete do Congo (com espinafre), Angú à Baiana (feito com o caldo de cozimento da carne e finalizado com molho vermelho), Salada Axé (repolho misto com cenoura e maçã), arroz branco e feijão preto.


Últimas Notícias

Casal segura papel digitado à mão. Contrato de aluguel social já é uma realidade em Belo Horizonte

A primeira família assinou o contrato de aluguel no dia 14/11, na Urbel. A atual etapa do projeto contempla 202 idosos.

06/12/2019 | 11:41
Técnica do posto de saúde oferece vidro a mãe com bebê Regional Noroeste inaugura Unidade Coletora de Leite Materno e incentiva doação

O Centro de Saúde Bom Jesus busca alertar a sociedade para a importância do aleitamento materno.

02/12/2019 | 12:45