Pular para o conteúdo principal

Nesse Carnaval, não deixe que o mosquito faça a festa

04/03/2019 | 18:03 | atualizado em 07/03/2019 | 11:45

Com a grande concentração de pessoas pelas ruas durante o Carnaval é preciso ter atenção em relação ao acúmulo de objetos como latas e copos descartáveis jogados nas ruas e quintais que podem servir como reservatório para o mosquito Aedes aegypti. Tanta gente reunida aumenta a produção de lixo, que descartado de forma incorreta, junto às chuvas habituais do período, podem resultar em criadouros ideais para a reprodução do mosquito causador de doenças como dengue, chikungunya e zika.


Em Belo Horizonte, até o momento, foram confirmados 430 casos de dengue. Em 2018, considerando o mesmo período, foram confirmados 67 casos da doença.

 

O Carnaval termina, mas a cidade e as pessoas ficam, por isso é preciso responsabilidade. O momento exige atenção redobrada com os possíveis criadouros do mosquito. A melhor forma de evitar sua proliferação é eliminar a água parada e descartar materiais em desuso espalhados em ambientes abertos e quintais. Sempre que possível verificar em casa ou no ambiente de trabalho, objetos e tudo que possa servir de depósito dos ovos do mosquito.


Para alertar a população sobre os cuidados para evitar o aumento de focos do mosquito, a Secretaria Municipal de Saúde fez um material educativo para as redes sociais. As ações de prevenção e controle da doença são mantidas durante todo o ano, mas em alguns períodos o risco da doença é maior devido a concentração de casos nessa época.


O mosquito Aedes aegypti é doméstico e vive dentro ou ao redor das residências. Durante as vistorias de combate dos agentes, cerca de 85% dos focos do mosquito, são encontrados dentro das casas. Veja alguns cuidados básicos para combater o Aedes aegypti:

  • Retirar os pratinhos de plantas;

  • Acondicionar o lixo em saco plástico e mantê-lo em lixeira tampada até o dia de recolhimento do Serviço de Limpeza Urbana;

  • Manter a caixa d’água vedada, sem deixar frestas;

  • Realizar a limpeza das calhas e remover folhas e outros materiais que possam impedir o escoamento da água;

  • Entregar os pneus ao Serviço de Limpeza Urbana ou mantê-los em local coberto;

  • Tratar a piscina com cloro e limpar uma vez por semana;

  • Manter o quintal sempre limpo e livre de qualquer material que possa se tornar um foco do Aedes aegypti.

Imagem gráfica da campanha contra a Dengue usada nas redes sociais