Pular para o conteúdo principal

Prefeito Alexandre Kalil segura papel e fala ao microfone. Ao fundo, as bandeiras do Brasil e de Minas Gerais
Foto: Rodrigo Clemente/PBH

Kalil apresenta balanço do primeiro ano de gestão na Câmara

23/03/2018 | 10:09 | atualizado em 02/04/2018 | 17:58

Na manhã desta sexta-feira, dia 23, o prefeito Alexandre Kalil apresentou, no plenário da Câmara Municipal de Belo Horizonte, um balanço com os principais programas e ações implementados durante seu primeiro ano de governo, iniciado em janeiro de 2017.
 

Acompanhado do presidente da Câmara, vereador Henrique Braga, e do vice-prefeito, Paulo Lamac, o prefeito destacou, em sua apresentação, que, mesmo com redução de receitas em 2017, a gestão municipal assegurou melhorias na prestação de serviços públicos.
 

O relatório distribuído para cada um dos vereadores presentes ao plenário destaca que a administração municipal adotou medidas importantes, como a reforma administrativa, a renegociação de contratos e revisão de projetos, o que resultou em economia de R$ 120 milhões em 2017, refletindo em benefícios aos cidadãos, na medida em que foram implementadas melhorias na prestação de serviços.
 

“Gostaria de agradecer à Câmara, que vem nos ajudando, de uma forma importante, ágil e decisiva, para que as ações da Prefeitura também se tornem mais ágeis, porque a miséria e a pobreza não podem esperar. Há muita pressa para ajudar muita gente”, afirmou o prefeito Alexandre Kalil.  
 

O prefeito também frisou que a gestão municipal funciona bem quando se tem uma equipe formada por secretários e servidores de qualidade.
 

“Duvido que, nos últimos 20 anos, um prefeito de Belo Horizonte tenha conseguido reunir uma equipe do nível como a que eu reuni. Tudo o que se tem construído e feito de projetos e ideias em Belo Horizonte vem de mentes bem intencionadas, preparadas e brilhantes de uma equipe que me orgulha muito. E é lá nas secretarias que vamos resolver os problemas de Belo Horizonte. Fazer uma cidade melhor, para o bem-estar e o atendimento do povo. Governar para quem precisa é governar para todos. Pois todos precisam do Poder Público”, destacou.

 

Avanços

A Educação foi uma das áreas priorizadas pela gestão. Em 2017, foram ofertadas mais de sete mil novas vagas na educação infantil e inauguradas mais duas Unidades Municipais de Educação Infantil (UMEIs), Sagrada Família e Pedro Lessa, além de obras diversas em mais de 200 escolas municipais. Também foram nomeados mais de mil professores para a educação infantil e atendidos mais de 54 mil estudantes na Escola Integrada.
 

Na Saúde, 100% do Hospital Metropolitano Dr. Célio de Castro foi colocado em funcionamento, atingindo um total de 385 leitos disponíveis. Outros destaques foram a criação do Centro de Saúde Santa Mônica II; a entrega das obras e início gradativo de operação do Complexo de Saúde do Barreiro; a criação da Unidade Transitória de Acolhimento Infanto-Juvenil e do serviço de Hospitalidade Noturna no Centro de Referência em Saúde Mental Infantil (Cersami); e a realização de reformas em 41 Centros de Saúde.
 

Na área da Segurança, ações relevantes também foram implementadas, como o programa Viagem Segura, de prevenção de roubos a ônibus coletivos com a presença de guardas municipais; a Operação Sentinela, com patrulhamento preventivo em áreas de criminalidade; a renovação da frota de viaturas e as intervenções integradas em áreas de concentração de usuários de drogas. Todas essas iniciativas de prevenção à violência resultaram na queda de 16,3% nos crimes violentos na capital em 2017, comparando com 2016.
 

Na área Social, ações de atendimento às pessoas em vulnerabilidade social tiveram significativo avanço, com a implementação do Plano Municipal Intersetorial de Atendimento à População em Situação de Rua; a criação de duas unidades de acolhimento para pessoas em situação de rua no hipercentro da capital; a ampliação do funcionamento de dois Centros de Referência de População de Rua nos finais de semana e feriados; a finalização das obras do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) Paulo VI; a retomada das obras de implantação do CRAS Taquaril; e a reforma do CRAS Jardim Felicidade.
 

Em relação ao Turismo e às atividades culturais, números históricos foram alcançados, como o do Carnaval 2017, com um público de três milhões de pessoas; o Arraial de Belo Horizonte com a participação de 100 mil pessoas; o Festival Literário Internacional (FLI), com 30 mil visitantes; e o Festival de Arte Negra (FAN), com 29 mil.

Quanto à Mobilidade Urbana, além das obras estruturantes da Via 710 e do Complexo da Lagoinha, houve a modernização e substituição da frota de 229 ônibus coletivos com suspensão a ar e sistema de ar-condicionado. Outra medida foi a implantação de 306 novos abrigos de ônibus, garantindo mais conforto e segurança aos usuários.
 

Nas áreas de Habitação e Urbanização, foram entregues mais de 5.400 títulos de propriedade e concluídos 16 empreendimentos aprovados no Orçamento Participativo (OP) em vilas e aglomerados, além de diversas obras de urbanização de vias públicas.
 

Em relação à Sustentabilidade Ambiental, houve ampliação da limpeza urbana em vilas e favelas, promovendo melhores condições sanitárias e de limpeza para dez mil moradores. A coleta seletiva também foi expandida, com a participação de cooperativas de catadores, beneficiando seis mil cidadãos nos bairros Floresta e Colégio Batista, localizados na região Leste. Tais medidas contribuíram para que Belo Horizonte recebesse, em 2017, o prêmio de 1º lugar no ranking da “Urban Systems”, como cidade referência em sustentabilidade e meio ambiente, devido aos altos índices de saneamento e de coleta de lixo.
 

Para continuar avançando, a Prefeitura tem trabalhado na modernização da gestão, buscando soluções inteligentes para os desafios urbanos que afetam a qualidade de vida dos belo-horizontinos. Uma das medidas adotadas foi a simplificação de processos. Iniciada em 2017, ela desburocratizou mais de 200 serviços de diferentes áreas da PBH, eliminando exigências e facilitando a vida das pessoas.
 

Para auxiliar no desenho das políticas públicas implementadas ou em processo de aperfeiçoamento, foram utilizados os indicadores estabelecidos nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), instituídos pela Organização das Nações Unidas (ONU). Eles norteiam na construção e elaboração do Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG 2018-2021) da Prefeitura de Belo Horizonte. Isso significa considerar em seu planejamento uma agenda inovadora, universal e transformadora.