Pular para o conteúdo principal

Arte feita pela Prefeitura para o Boletim de Monitoramento por termômetro, divulgado semanalmente
Foto: Arte PBH

Indicadores epidemiológicos permitem início da fase 2 de reabertura do comércio

05/06/2020 | 16:34 | atualizado em 12/06/2020 | 14:44

A Prefeitura de Belo Horizonte anunciou nesta sexta-feira, dia 5, a continuidade da reabertura gradual e segura dos setores que tiveram as atividades suspensas em decorrência da pandemia da Covid-19. A decisão do Comitê de Enfrentamento à Epidemia de Covid-19 foi tomada após a análise dos indicadores epidemiológicos e da capacidade assistencial, tendo como base de comparação a semana anterior.

 

Os dados constam no 4º Boletim de Monitoramento com o termômetro da Covid-19 que aponta o nível geral de alerta amarelo, influenciado por uma retração no indicador Rt que demonstra o número médio de transmissão por infectado. No boletim anterior esse indicador estava em 1,24 (vermelho) e, no boletim atual, em 1,07 (amarelo).  

 

O resultado se deu após uma oscilação positiva, indicando uma redução na média dos últimos sete dias que ainda não comprometeu a capacidade de leitos destinado à Covid-19, ainda que os leitos de UTI estejam com percentual de ocupação de 64% (amarelo). Embora a velocidade de transmissão tenha diminuído, ela ainda apresenta leve aceleração à pandemia, o que pode ser observado na expansão da ocupação de leitos. 

 

Após considerar tais parâmetros científicos, o posicionamento adotado foi o de avançar para a segunda fase, incluindo as atividades que, em sua maioria, são de uso esporádico pela população, com baixo tempo de permanência e que de uma forma geral tendem a não gerar impactos significativos adicionais no transporte coletivo. 

 

Na Fase 2, poderão reabrir na segunda-feira, 8 de junho, os seguintes setores:

 

De 11h às 19h

  • Artigos e equipamentos esportivos;
  • Artigos de uso pessoal, exceto vestuário e acessórios (ficam permitidos calçados, artigos de viagem, joalheria, relojoaria, suvenires, bijuterias e artesanatos);
  • Artigos para animais, exceto comércio varejista de animais vivos;
  • Artigos usados das atividades autorizadas a funcionar;
  • Bebidas, exceto para consumo no local;
  • Embalagens em geral;
  • Instrumentos musicais e acessórios;
  • Lubrificantes;
  • Objetos de arte e decoração;
  • Plantas e flores naturais;
  • Armas e munições;
  • Tabacaria, exceto para consumo no local;

 

De 5h às 17h

  • Comércio atacadista da cadeia de comércio varejista da fase 2.

 

Também foi admitido o horário de abertura antecipado (a partir das 9h) em finais de semana e feriados  para estabelecimentos cujo horário de abertura estava definido para a partir das 11 horas isso para favorecer a dispersão dos clientes no tempo. O funcionamento aos sábados, domingos e feriados é uma decisão do lojista, ficando determinado pela Prefeitura somente os horários, caso venham a abrir em tais dias. 

 

 

Decreto e portaria

O decreto com as atividades autorizadas a reabrir na próxima semana será publicado na edição deste sábado, dia 6, do Diário Oficial do Município. Seguindo o mesmo padrão adotado na fase anterior, o novo decreto também estabelece faixas de horário de funcionamento indicadas para as novas atividades reabertas, para manter equilíbrio e a segurança no transporte público coletivo durante o processo de reabertura.

 

As medidas sanitárias estabelecidas pela Portaria SMSA/SUS-BH Nº 0194/2020 continuam em vigor, devendo ser observadas tanto pelas atividades autorizadas na fase de controle e fase 1, como também pelas atividades que serão reabertas na fase 2. O descumprimento das medidas vigentes poderá causar a suspensão do Alvará de Localização e Funcionamento.

 

Nesta página, lojistas e cidadãos poderão consultar as informações atualizadas também sobre a fase 2, incluindo CNAES autorizados e as faixas de horário de funcionamento de cada atividade.

 

 

Impacto econômico

A segunda fase de reabertura contempla 5.323 empresas e 8.137 microempreendedores individuais (MEIs). Essas atividades representam cerca de 15 mil empregos formais no município. Com a inclusão desses estabelecimentos na flexibilização, somada aos que já estavam em funcionamento nas fases 1 e de controle, cerca de 89,6% das atividades privadas em Belo Horizonte estarão autorizadas a funcionar, representando a retomada de 91,9% dos empregos.

 

 

Balanço da 1ª fase de reabertura

Índice de Isolamento

Nos quatro primeiros dias dessa segunda semana de reabertura gradual das atividades na cidade (entre 1º e  4 de junho), não foram identificadas mudanças significativas no Índice de Isolamento. O índice apurado nesse período se manteve em torno de 48%, mesma média registrada na semana anterior. 

 

Impacto no transporte coletivo

No transporte coletivo da capital foi registrado, nos quatro primeiros dias desta semana, um aumento médio de 24 mil passageiros/dia na comparação com a semana anterior, que representou um aumento de 5,2%. Como resultado do escalonamento de horários de funcionamento das atividades comerciais estabelecido pelo Decreto 17.361/2020, ficou mantida a tendência já registrada na semana passada de maior crescimento da demanda fora do horário de pico. 

 

Na comparação com a semana anterior, nos quatro primeiros dias desta semana, o acréscimo de passageiros no horário de pico (5h às 8h e de 16h às 19h) foi de 4,7%, e de 5,7% fora do horário de pico. Com esse avanço na reabertura, espera-se naturalmente um aumento no fluxo de pessoas e, na mesma proporção, ampliação e ajuste do número de viagens de transporte coletivo em linhas de maior demanda para promover um maior equilíbrio no fluxo.

 

Veículos na área central e nos grandes corredores

Também foi identificado nos quatro primeiros dias desta semana um aumento de 6,8% no fluxo de veículos na área central, e de 2,6% nos principais corredores da cidade, em comparação com o fluxo de veículos registrado na semana passada.

 

Manutenção do distanciamento social e medidas de prevenção

A Prefeitura de Belo Horizonte reforça que o avanço nas fases de reabertura não significa que as medidas de distanciamento social, uso de máscaras, lavagem das mãos e redução de contatos e conversas em locais públicos devam ser reduzidas. Muito pelo contrário, as pessoas devem sair do isolamento somente se for estritamente necessário, evitar aglomerações e manter os hábitos de higiene considerando o aumento esperado do fluxo de pessoas nas ruas.

 

Com a colaboração da população nesse sentido, os parâmetros do boletim de monitoramento poderão ficar em patamares adequados, criando condições para avanço nas demais fases de retorno de atividades.