Pular para o conteúdo principal

FAN-BH anuncia programação em coletiva no Teatro Francisco Nunes

12/11/2019 | 15:55 | atualizado em 13/11/2019 | 18:03

Os organizadores do Festival de Arte Negra de BH - FAN-BH anunciaram, nesta terça, a programação completa da 10ª edição do evento, que tem início no dia 18 de novembro. Na coletiva, realizada no Teatro Francisco Nunes, a presidente da Fundação Municipal de Cultura, Fabíola Moulin, e as curadoras do festival, Aline Vila Real, Grazi Medrado e Rosália Diogo, detalharam as apresentações que serão levadas a público, as mostras e todas as ações que compõem a edição 2019.

 

Nessa edição, o festival está mais robusto, diversificado, e com maior investimento direto da Prefeitura, conforme afirmou a presidente Fabíola Moulin. “O orçamento de R$ 2,8 milhões destinado à realização do FAN representa um aporte comparável ao de todos os outros grandes festivais da cidade realizados pelo poder público e que permite um panorama amplo da atual produção das artes negras”, salientou.

 

A partir do pensamento e das proposições da historiadora, roteirista, professora, poeta e ativista sergipana Maria Beatriz do Nascimento (1942–1995) foi estabelecido como eixo de reflexão do 10º Festival de Arte Negra de BH - FAN-BH o tema "Território Memória", que norteia as ações formativas do evento. Oficinas, aulas públicas, seminários, residências artísticas e minicursos compõem a grade do festival, junto às apresentações artísticas, que passam pela música, teatro, performance, e mostras de artes visuais e cinema.

 

“O festival é, sobretudo, um local de encontro, com o intuito de jogar luz sobre a produção cultural da cidade em diálogo com outros estados e outros países. É um lugar de confluência, um quilombo contemporâneo”, destacou Aline Vila Real.

 

Participam desta edição representantes de dez estados – Minas Gerais, Pernambuco, São Paulo, Bahia, Pará, Paraíba, Rio de Janeiro, Ceará, Rondônia, Espírito Santo – e de quatro países – Brasil, Gana, Senegal e Alemanha. Antes de anunciar a programação, Grazi Medrado sublinhou que o FAN-BH tem a particularidade de ser um festival de multilinguagens.

 

O desfile de atrações que integram a edição 2019 do evento inclui o lançamento do novo álbum de Chico César, Mateus Aleluia convidando Laércio e Thalma de Freitas, o show “Sambas do Absurdo”, com Juçara Marçal, Rodrigo Campos e Gui Amabis, o espetáculo “Embarque Imediato”, com Antonio Pitanga e seus filhos Rocco e Camila Pitanga, o musical “Ícaro and the Black Stars”, com Ícaro Silva, o stand up “Tia Má com a Língua Solta”, com Maíra Azevedo, BNegão cantando o repertório de Dorival Caymmi e Black Alien apresentando o repertório de seu mais recente disco, entre outras. Confira a programação completa.

 

Grazi Medrado destacou, como traço marcante da programação, os encontros geracionais, que se alinham diretamente com o tema “Território Memória” e que estão expressos na presença de Laércio e Thalma de Freitas – pai e filha – no show de Mateus Aleluia, no encontro de Antonio Pitanga com seus filhos em “Embarque Imediato” ou nos tributos que BNegão presta a Dorival Caymmi e que Lira Ribas presta a seu pai, Marku Ribas, com o espetáculo “Orange Lady”. “E temos ainda, com os espetáculos ‘Navalha na Carne Negra’, ‘Medéia Negra’ e ‘Gota D’Água (Preta)’, releituras de clássicos do teatro pelo olhar da negritude”, acrescentou a curadora.

 

Responsável pela curadoria de cinema do festival, Tatiana Carvalho destacou que a seleção de filmes foi pensada tendo como baliza o tema “Território Memória”, com títulos recentes, representativos do momento potente da produção audiovisual em Minas Gerais e no Brasil. “Os curtas também são, prioritariamente, fruto de uma produção recente, e primam pela diversidade. São filmes que se contrapõem diretamente aos estereótipos, num panorama bem diverso”, disse, ressaltando, ainda, as presenças de dois nomes de projeção na área – a doutora em história, pesquisadora e curadora Janaína Oliveira (RJ) e a diretora e produtora Everlane Moraes (SP) – à frente de ações formativas.

 

No campo das artes visuais, Rosalia Diogo falou da mostra “(Re)Conhecendo a Amazônia Negra: Povos, Costumes e Influências Negras na Floresta”, que lança um olhar sobre a nem sempre notada presença afrodescendente na região amazônica. “É uma mostra fotográfica da Marcela Bonfim, que é de São Paulo e está morando em Rondônia, identificando a presença negra na região amazônica”, disse. Ela também destacou a reinauguração da placa do monumento a Zumbi dos Palmares, criado por Jorge dos Anjos e instalado no início da avenida Brasil, no bairro Santa Efigênia, na primeira edição do Festival de Arte Negra de BH – FAN-BH, em 1995.

 

Fabíola Moulin falou dos diversos espaços que vão abrigar a programação do festival, com destaque para os equipamentos que compõem o circuito cultural da Praça da Estação – o que inclui o Museu de Artes e Ofícios, o Centro Cultural da UFMG, o baixio do viaduto Santa Tereza e o Centro Cultural CentoeQuatro, onde estará concentrada boa parte das atividades e também o Ojá – Mercado das Culturas. “É um espaço bastante importante, de encontro, de diálogo e de intercâmbio, onde vão acontecer shows, debates, oficinas e outras atividades”, disse.

 

“Outros espaços fora do corredor cultural da Praça da Estação também serão ocupados, como a Casa do Beco, o Espaço Lamparina, no bairro Maria Goretti, o Tambor Mineiro, no Prado, a Mansão do Bloco Seu Vizinho, no Aglomerado da Serra, e o Cerbambu – Centro de Referência do Bambu e das Tecnologias Sociais, em Ravena. São territórios de manifestação e resistência”, sublinhou a presidente da Fundação Municipal de Cultura.

 

 

Serviço

Festival de Arte Negra de Belo Horizonte – FAN-BH

Música, teatro, cinema, artes visuais, performances, aulas e oficinas

Programação gratuita

Data: 18 a 24 de novembro

Local: Mais de 20 espaços de Belo Horizonte


Últimas Notícias

Funcionários da Sudecap fazendo manutenção na Vila Bernadete, no Barreiro, após as chuvas Prefeitura deixa Sudecap de plantão 24h por dia para fazer manutenção na cidade

Sempre que a chuva diminui de intensidade ou cessa, as equipes atuam desobstruindo vias e suprimindo e podando árvores.

26/01/2020 | 19:26
Agentes da Defesa Civil durante vistorias na Vila Biquinhas PBH recebe mais de 1.200 solicitações de atendimento até a tarde deste domingo

A maior quantidade de solicitações registradas nos últimos dias foi nas regionais Barreiro, Oeste, Noroeste e Pampulha.

26/01/2020 | 19:11