Pular para o conteúdo principal

Jovem posa para foto em campo de futebol de terra. O fundo tem outros colegas jogadores e a área do gol.
Rodrigo Clemente/PBH

Esporte Esperança revela bons atletas

07/06/2018 | 16:14 | atualizado em 07/06/2018 | 16:14

“Ter sido campeão da Copa Centenário me ajudou na conquista da vaga para o time infantil do Villa Nova”, afirma João Pedro Alves Marcelino Neto, de 15 anos, aluno da modalidade futebol de campo do programa Esporte Esperança, desenvolvido pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Smel).


João Pedro se referia ao título da categoria infantil da Copa Centenário de Futebol Amador Wadson Lima 2017. Ele foi campeão pelo São Bernardo, equipe que está inscrita neste ano pela segunda vez na competição. A edição de 2018 encontra-se em andamento. Atacante, João Pedro foi o autor do gol que deu o título de campeão da Copa ao time em 2017. A conquista e o bom desempenho individual abriram-lhe as portas no mundo do futebol, mais especificamente do Villa Nova, de Nova Lima, clube pelo qual vem atuando como atleta do infantil.


Morador do bairro São Tomaz, região Norte de Belo Horizonte, João Pedro também permanece frequentando as atividades do Esporte Esperança, nas tardes de terça e quinta-feira. Com 50 participantes, as aulas são ministradas pela Smel no campo do São Bernardo, região Norte, das 14h às 16h30. “Aqui encontro e faço amigos, aprendo a gostar cada dia mais da vida esportiva que me ajudou a definir meu futuro: atuar como jogador profissional e fazer faculdade de Educação Física”, explica.


Integrante da equipe de coordenação do Esporte Esperança no núcleo São Bernardo, a educadora física Luciana Cirino diz que os bons resultados são bem-vindos, mas destaca os verdadeiros propósitos do Esporte Esperança. “O objetivo do programa é aplicar os valores da ética na prática esportiva. Não trabalhamos com o foco na competição. Ensinamos que ganhar faz parte do processo de competição e que a vitória não pode ser conquistada a qualquer custo”, relata.

 

Vulnerabilidade social

O programa Esporte Esperança atende a 4.081 crianças e adolescentes, entre três e 17 anos, em Umeis, creches conveniadas com a PBH e núcleos comunitários, com o objetivo de contribuir para a formação esportiva, construção de valores éticos e melhoria da qualidade de vida.


As atividades são realizadas, prioritariamente, nas regiões de maior vulnerabilidade social, cujas localizações coincidem, na maioria, com os territórios de abrangência dos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS).


As inscrições são feitas presencialmente pelos pais ou responsável pelo aluno durante o período das atividades e estão condicionadas à existência de vagas.  Os contatos do programa são: 3246-5095 e  esporte.esperanca@pbh.gov.br.


Ambiente saudável

Kailane Cristina Ferreira de Oliveira, de 13 anos, frequenta há sete anos as aulas de futebol no campo do São Bernardo, com a perspectiva de atuar profissionalmente como goleira em um time feminino. “Meus pais ficam tranquilos quando estou frequentando as aulas do Esporte Esperança, porque sabem que o ambiente é saudável”, relata ela, que é estudante da Escola Municipal Maria Silva.


No último dia 26, um novo aluno foi inscrito na equipe: João Vitor Carmona, 14, morador do bairro Planalto. Nesse dia, os pais dele foram pessoalmente fazer a inscrição. “Como pais, estamos contentes com essa inscrição que abre possibilidade para que nosso filho pratique exercício físico e gaste energia, além de promover a interação social dele em um ambiente esportivo”, avalia o pai, o empresário Leonardo Carmona, 38.