Pular para o conteúdo principal

Menorá. o candelabro judeu de sete braços, a estrela de David, símbolo judaico, a foto de Anne Frank, criança judia que escreveu um diário, e uma edição recente de seu diário.
Arquivo Escola Municipal Anne Frank

Escola expõe edição rara do Diário de Anne Frank

criado em 27/06/2017 - atualizado em 17/01/2018 | 14:33

Em junho de 2017, comemora-se 70 anos da publicação da primeira edição do diário de Anne Frank, escrito em holandês. Para celebrar a data, a Escola Municipal Anne Frank (rua K, 455- bairro Confisco), exibe até sexta-feira, dia dia 30, uma exposição sobre a vida de Anne Frank, com um exemplar raro da primeira edição publicada do diário (1947), que teve tiragem de apenas 50 livros. A publicação foi doada à escola por Nanette Konig, amiga de Anne Frank.
 

Além da montagem da exposição, várias atividades foram desenvolvidas durante o mês, como a gravação de fragmentos do diário por alunos da escola e a criação de uma réplica do Anexo Secreto onde a menina se escondeu durante a Guerra. A escola também recebeu a visita da escritora Mirella Spinelli, que transformou o Diário de Anne Frank em quadrinhos, para uma roda de conversa e sessão de autógrafos.
 

Na escola também é possível ver na exposição uma variedade de livros sobre a história de Anne Frank e de sobreviventes do Holocausto. Outro destaque da escola é uma galeria toda dedicada à vida da menina judia, que traz uma acervo de documentos, fotos, livros e trabalhos produzidos pelos alunos. Em anos anteriores, o projeto Anne Frank Viva teve destaque internacional, com a viagem da diretora da escola, ao lado de outras gestoras de quatro escolas de mesmo nome no Brasil, à Holanda para visitar a casa de Anne Frank. Dois alunos da escola também foram premiados em concursos de redação e tiveram a chance de visitar a Holanda, juntamente com seus professores orientadores.

 

O Diário de Anne Frank

 

O Diário de Anne Frank relata o Holocausto sob o ponto de vista de uma garota. Ele é importante para lembrar milhares de vida que se perderam e não permitir que o Holocausto seja esquecido, alertando os seres humanos para que tragédias assim não se repitam jamais.
 

O livro permanece como um best-seller da literatura mundial, embora tenha sido escrito há mais de meio século. Anne e toda a sua história de coragem e sofrimento são reconhecidas em qualquer parte do mundo. Mais de 30 milhões do Diário de Anne Frank já foram vendidos em todo o mundo, traduzidos para mais de 60 idiomas diferentes.
 

 

Escola Municipal Anne Frank

 

Fundada no dia 06 novembro de 1991, a Escola Municipal Anne Frank fica localizada no bairro Confisco, região da Pampulha, em Belo Horizonte, em uma área limítrofe com o município de Contagem. Seu nome foi escolhido por Marx Golgher, doador do lote onde a escola foi construída. A instituição desenvolve projetos que buscam estabelecer uma cultura de paz na escola, fazer com que seus alunos conheçam a importância da vida de Anne Frank, se identifiquem e aprendam com ela, inspirando-se em sua força, coragem e determinação, compreendendo o legado que essa jovem judia deixou ao mundo nas páginas do seu diário.