Pular para o conteúdo principal

Menorá. o candelabro judeu de sete braços, a estrela de David, símbolo judaico, a foto de Anne Frank, criança judia que escreveu um diário, e uma edição recente de seu diário.
Arquivo Escola Municipal Anne Frank

Escola expõe edição rara do Diário de Anne Frank

27/06/2017 | 18:08 | atualizado em 17/01/2018 | 13:33

Em junho de 2017, comemora-se 70 anos da publicação da primeira edição do diário de Anne Frank, escrito em holandês. Para celebrar a data, a Escola Municipal Anne Frank (rua K, 455- bairro Confisco), exibe até sexta-feira, dia dia 30, uma exposição sobre a vida de Anne Frank, com um exemplar raro da primeira edição publicada do diário (1947), que teve tiragem de apenas 50 livros. A publicação foi doada à escola por Nanette Konig, amiga de Anne Frank.
 

Além da montagem da exposição, várias atividades foram desenvolvidas durante o mês, como a gravação de fragmentos do diário por alunos da escola e a criação de uma réplica do Anexo Secreto onde a menina se escondeu durante a Guerra. A escola também recebeu a visita da escritora Mirella Spinelli, que transformou o Diário de Anne Frank em quadrinhos, para uma roda de conversa e sessão de autógrafos.
 

Na escola também é possível ver na exposição uma variedade de livros sobre a história de Anne Frank e de sobreviventes do Holocausto. Outro destaque da escola é uma galeria toda dedicada à vida da menina judia, que traz uma acervo de documentos, fotos, livros e trabalhos produzidos pelos alunos. Em anos anteriores, o projeto Anne Frank Viva teve destaque internacional, com a viagem da diretora da escola, ao lado de outras gestoras de quatro escolas de mesmo nome no Brasil, à Holanda para visitar a casa de Anne Frank. Dois alunos da escola também foram premiados em concursos de redação e tiveram a chance de visitar a Holanda, juntamente com seus professores orientadores.

 

O Diário de Anne Frank

 

O Diário de Anne Frank relata o Holocausto sob o ponto de vista de uma garota. Ele é importante para lembrar milhares de vida que se perderam e não permitir que o Holocausto seja esquecido, alertando os seres humanos para que tragédias assim não se repitam jamais.
 

O livro permanece como um best-seller da literatura mundial, embora tenha sido escrito há mais de meio século. Anne e toda a sua história de coragem e sofrimento são reconhecidas em qualquer parte do mundo. Mais de 30 milhões do Diário de Anne Frank já foram vendidos em todo o mundo, traduzidos para mais de 60 idiomas diferentes.
 

 

Escola Municipal Anne Frank

 

Fundada no dia 06 novembro de 1991, a Escola Municipal Anne Frank fica localizada no bairro Confisco, região da Pampulha, em Belo Horizonte, em uma área limítrofe com o município de Contagem. Seu nome foi escolhido por Marx Golgher, doador do lote onde a escola foi construída. A instituição desenvolve projetos que buscam estabelecer uma cultura de paz na escola, fazer com que seus alunos conheçam a importância da vida de Anne Frank, se identifiquem e aprendam com ela, inspirando-se em sua força, coragem e determinação, compreendendo o legado que essa jovem judia deixou ao mundo nas páginas do seu diário.

Livro de capa marrom dentro de uma caixa de acrílico transparente
Livro de capa marrom dentro de uma caixa de acrílico transparente
Fotos e textos da exposição sobre a Anne Frank na escola municipal que tem seu nome.
Fotos e textos da exposição sobre a Anne Frank na escola municipal que tem seu nome.
Mais de 15 crianças se divertem lendo livros e manuseando bonecos e outros utensílios na exposição sobre Anne Frank.
Mais de 15 crianças se divertem lendo livros e manuseando bonecos e outros utensílios na exposição sobre Anne Frank.