Pular para o conteúdo principal

Encontro de Culturas Indígenas ocorre no parque Lagoa do Nado no sábado, dia 30
Foto: Siwe/arquivo pessoal

Encontro de Culturas Indígenas ocorre no parque Lagoa do Nado no sábado

criado em 25/04/2022 - atualizado em 26/04/2022 | 19:31

O Circuito Municipal de Cultura promove, em parceria com o Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional Lagoa do Nado, o Encontro de Culturas Indígenas pela Cura da Terra no sábado, dia 30. A programação, que acontece em formato presencial, comemora os 30 anos do equipamento cultural, localizado na região Norte da capital – 22 anos como centro cultural e oito anos como CRCP. A programação traz o ‘Festejo multiétnico Yawara Pixuna e os Caminhos de Pachamama’, que, através do Comitê Mineiro de Apoio às Causas Indígenas, reúne os povos Kambiwá, Aranã Caboclo, Pataxó e os Povos Andinos para celebrar o encontro e a diversidade, a riqueza da cultura e a espiritualidade.

 

O evento também terá uma bate-papo com a artista e ativista das causas indígenas Darupü’ünaTikuna (AM) e com o educador indígena e diretor escolar, Siwê Pataxoop (MG), mediado por Rafael Fares (BH). A apresentação do evento fica por conta de Rosália Diogo (MG), coordenadora do equipamento cultural. O acesso ao evento é livre a partir das 10h, sujeito à lotação do espaço. A iniciativa segue os protocolos de prevenção à covid-19 vigentes em Belo Horizonte: para acesso ao evento é obrigatório uso de máscara e apresentação do cartão de vacinação que comprove a segunda dose da vacina. Além disso, para acessar o parque, é necessário estar imunizado, há pelo menos 10 dias, contra a febre amarela. Para mais informações acesse www.circuitomunicipaldecultura.com.br.

 

Saiba mais sobre a programação

 

Com canto, dança e reza, o ‘Festejo multiétnico Yawara Pixuna e os Caminhos de Pachamama’ terá a presença dos povos Kambiwá, Aranã Caboclo, Pataxó e os Povos Andinos, reunidos por meio do Comitê Mineiro de Apoio às Causas Indígenas. O encontro traz músicas tradicionais dos povos indígenas brasileiros, o Toré e o Toante, e também o ritual de uma oferenda para Mãe Terra pelos parentes andinos. Os povos indígenas presentes também convidam para o encontro os povos pretos de terreiro, de quilombo, de periferia e LGBTQI+ para celebrar o encontro e a diversidade, a riqueza da cultura e da espiritualidade.

 

O momento, além de evidenciar o enfrentamento aos crescentes crimes de ódio, em especial, o preconceito contra tradições indígenas que são base da resistência da cultura popular brasileira, celebra o encontro entre os Encantados de povos de Abya Yala/Pachamama e de povos de Pindorama/Nak. O Comitê Mineiro de Apoio às Causas Indígenas é um coletivo formado por diversas etnias do Brasil, Peru e Bolívia que se organiza, desde 2012, com o objetivo de manter a cultura viva mesmo longe do território de origem.