Pular para o conteúdo principal

Reunião on-line
Foto: Rodrigo Clemente

Economia Criativa é tema de evento on-line promovido pela PBH até 24 de maio

17/05/2021 | 17:18 | atualizado em 17/05/2021 | 17:18

O evento on-line “Hackathon: Soluções para a Economia Criativa”, promovido pela Prefeitura de Belo Horizonte, em parceria com a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), foi iniciado nesta segunda-feira, dia 17. 

 

No âmbito da adesão de Belo Horizonte à Rede de Cidades Criativas da Unesco, o evento acontecerá até o dia 24 de maio, com a proposta de incentivar a criação de soluções inteligentes, inovadoras e tecnológicas para recuperar o setor criativo da capital mineira, no contexto de desafios impostos pela pandemia de Covid-19. 

 

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Cláudio Beato, abriu o Hackathon e destacou a importância de debates semelhantes no atual cenário de crise. 

 

“É um enorme prazer poder fazer a abertura do Hackathon. A economia criativa foi um setores mais afetados pela pandemia do novo Coronavírus. E, no entanto, nunca precisamos tanto do esforço intelectual e da criatividade desse setor para buscarmos soluções e sairmos da crise. O Hackathon tem o objetivo de pensar alternativas para lidar com essa pandemia, principalmente pela importância econômica que tem a Economia Criativa, que é muito cara à capital e, também, a Minas Gerais”, afirmou Cláudio Beato. 

 

A chefe do Departamento de Relações Internacionais da PUC Minas, Chyara Sales, destacou o papel das discussões que acontecerão até o dia 24. “Diante de um momento tão desafiante e incerto que a pandemia nos impõe, a criatividade tem sido a palavra da ordem. Criatividade é muito mais do que pensar fora da caixa – ela é um talento. Imagino que o Hackathon seja uma competição entre talentos, com a formulação de produtos que certamente contribuirão para dar mais dinamismo ao setor da Economia Criativa, para além do marco temporal que será o pós-pandemia”, disse. 

 

A maratona Hackathon e os seminários temáticos são organizados pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE), pela Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur) e pela Secretaria Municipal de Cultura (SMC), junto ao Departamento de Relações Internacionais da PUC Minas. O evento também conta com a participação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), de cidades brasileiras e estrangeiras da Rede de Cidades Criativas da Unesco, entre outros. 

 

Artesanato, Design e Gastronomia são as categorias da economia criativa para as quais os participantes da maratona devem desenvolver ideias inovadoras. As equipes classificadas em primeiro lugar receberão o prêmio de R$ 4 mil; os times classificados em segundo lugar receberão R$ 2 mil; e os selecionados em terceiro lugar R$ 1 mil.  

 

De acordo com o diretor de Relações Internacionais da Prefeitura, Hugo Salomão, o evento realizado pela parceria entre a PBH e a PUC Minas traz a oportunidade de conectar relevantes atores do setor criativo, nacionais e internacionais, para fomentar a criação de ideias inovadoras, desenvolver soluções práticas e adaptar iniciativas bem-sucedidas que conduzam à dinamização e ao reaquecimento econômico dos setores da economia criativa, tendo como base a Agenda 2030 das Nações Unidas. 

 

“Temos mais de 70 equipes inscritas no Hackathon. Como ‘Cidade Criativa’ da Unesco, é necessário que Belo Horizonte desenvolva iniciativas de cooperação internacional junto a outras cidades da rede, bem como fomente o ecossistema criativo local. Nesse contexto, o Hackathon mobilizará redes e organismos internacionais, cidades brasileiras e estrangeiras, empresas, profissionais e estudantes de diferentes áreas, para trocarem conhecimento e desenvolverem soluções inovadoras para desafios da economia criativa. De acordo com a Unesco, é sobretudo no nível local que a criatividade é vivida e praticada diariamente. Estimular as indústrias criativas, promover a participação cidadã e cooperar com o setor privado e a sociedade civil são formas do poder público apoiar o crescimento urbano sustentável, com referência às principais agendas globais de desenvolvimento”, explica o diretor da PBH. 

 

Assista à abertura do “Hackathon: Soluções para a Economia Criativa” neste link

 

Confira programação do evento aqui