Pular para o conteúdo principal

 Governo alemão e Iclei América do Sul implementam Jardim de Chuva em Belo Horizonte
Foto: Iclei/Divulgação

Com apoio da PBH, governo alemão e Iclei implementam Jardim de Chuva em BH

04/06/2021 | 10:36 | atualizado em 04/06/2021 | 19:11

Na semana do Dia do Meio Ambiente, celebrado neste sábado, dia 5, Belo Horizonte recebe mais uma ação inovadora para a melhoria da qualidade de vida da população. Trata-se do Jardim de Chuva, solução que contribui com o escoamento da água da chuva, permitindo que a água seja filtrada pela vegetação e se infiltre no solo. A obra é um dos projetos demonstrativos no âmbito do INTERACT-Bio, com financiamento de cerca de 50 mil euros do governo alemão, coordenação do ICLEI - Governos Locais pela Sustentabilidade - e apoio da Prefeitura de Belo Horizonte. 

 

Para marcar o lançamento do projeto, a organização internacional produziu um vídeo institucional de um minuto e meio, gravado no Parque Municipal Fazenda Lagoa do Nado, na região Norte da cidade. Implantado em 1994 e com uma área verde de 311 metros quadrados, o parque foi o local escolhido para receber o chamado “modelo de infraestrutura inteligente”, previsto para ser iniciado ainda neste mês. 

 

“A crise climática tem influenciado e impactado muito a cidade, principalmente, ao longo dos últimos anos, com eventos extremos se intensificando a cada ano”, aponta, na abertura do vídeo, o diretor de Relações Internacionais da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Hugo Salomão França. 

 

O secretário-executivo do ICLEI América do Sul, Rodrigo Perpétuo, explica que o Jardim de Chuva estará em um lugar de alta visibilidade do parque e terá uma sinalização com uma linguagem fácil e acessível para o cidadão que frequenta o Parque Lagoa do Nado. “Vai ser de fato uma ação demonstrativa da possibilidade que esse tipo de intervenção traz para a cidade, se praticada em larga escala”, completa Rodrigo Perpétuo. 

 

“Nesse contexto, um experimento de Jardim de Chuva no Parque Lagoa do Nado é fundamental, porque os parques são ferramentas de educação e de formação da cidadania das pessoas”, afirma o presidente da Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica, Sérgio Augusto Domingues. 

 

A região metropolitana de Belo Horizonte é uma das três selecionadas no Brasil para a execução do projeto – em conjunto com Londrina e Campinas. Além do Parque Municipal Fazenda Lagoa do Nado, em Belo Horizonte, o segundo local de implantação dos jardins de chuva na região metropolitana é a Praça Presidente Tancredo Neves, em Contagem. Em nível global, Índia e Tanzânia também participam do INTERACT-Bio. 

 

Ao participar do vídeo, a secretária municipal de Política Urbana, Maria Caldas, disse que “há uma expectativa de a gente divulgar, envolver as pessoas nesse novo momento de soluções baseadas na natureza e poder contagiar as pessoas para uma mudança de cultura que o planeta precisa tanto”.  

 

O secretário municipal de Meio Ambiente, Mário Werneck, lembra que Belo Horizonte é uma das poucas capitais brasileiras que possui planejamento e corpo técnico capacitado para implementar ações capazes de reduzir os efeitos causados pelas mudanças climáticas. 

 

“Em alinhamento com a política climática defendida pela Conferência Global do Clima da ONU, a COP 26, a cidade pode se tornar referência para as demais cidades mineiras, atraindo investimentos para projetos de redução da emissão de gases de efeito estufa”, afirma. 

 

Saiba mais sobre o projeto Interact-Bio/Jardim de Chuva na página do Iclei.