Pular para o conteúdo principal

auditório com mais de trinta pessoas, e uma fila com mais de vinte pessoas para receber os muitos certificados, dispostos em cima de uma mesa.
Foto: Rodrigo Clemente/PBH

Certificado de Boas Práticas Ambientais é entregue a 62 escolas municipais

27/11/2019 | 16:26 | atualizado em 27/11/2019 | 16:32

Por adotar ações de sustentabilidade ambiental, como, por exemplo, a economia do uso da água, a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, da Secretaria Municipal de Educação e da Subsecretaria de Proteção de Defesa Civil, concedeu a 62 escolas da rede municipal o Certificado de Boas Práticas Ambientais.

 

A ação integra o Programa de Certificação em Sustentabilidade Ambiental da PBH (Selo BH Sustentável) e é destinada aos empreendimentos públicos e privados que adotam medidas que contribuam para a redução de 30% do consumo de água, 25% do consumo de energia, reciclagem de 70% dos resíduos sólidos e redução das emissões de gases do efeito estufa.

 

 “É um orgulho representar a escola, porque a nossa direção tem um olhar muito atento às questões ambientais“, disse a professora Lilian Maria Gonçalves, representante da Escola Municipal Hebert José de Souza, localizada na região Norte da capital mineira.

 

Além de atuar para a redução de 30% do uso da água, a instituição abriga um projeto piloto da Prefeitura de Belo Horizonte, em parceria com a Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), chamado EPIC – Escolares Solares.  O projeto, ainda em fase de estudos, prevê a eficientização de toda parte elétrica da escola e a implantação de uma usina fotovoltaica para zerar o consumo de energia elétrica.

 

“Vamos aplicar a mesma metodologia de trabalho em outras escolas para expandir o uso das usinas fotovoltaicas e assim tornar as escolas autossustentáveis” afirmou o biólogo e assessor do gabinete da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Humberto Martins Marques.

 

Ele representou o secretário de Meio Ambiente, Mário Werneck, e ao lado do diretor de Meteorologia e Alerta de Risco da Defesa Civil municipal, Dayan Carvalho, realizou a entrega dos certificados.

 

“Essa entrega mostra claramente que a prefeitura tem trabalhado em sinergia com as outras secretarias em prol de uma cultura de prevenção, para que a sociedade entenda a necessidade do uso eficiente dos nossos recursos naturais”, disse Carvalho.

 

 

Lançamento da 4ª edição da Revista EcoEscola BH

A atividade fez parte do encerramento do Programa EcoEscola BH 2019, realizado na manhã de terça-feira, dia 26 de novembro, no auditório do Centro de Referência da Juventude (CRJ), na Praça da Estação, região Central.

 

A programação contou com apresentação do Coral da Organização dos Aposentados e Pensionistas da UFMG (OAP), palestra “Biofilia e Educação Ambiental: função pedagógica da afinidade pela vida e pelos processos vitais”, ministrada pela bióloga Laiena Ribeiro Teixeira Dib, e a premiação das escolas vencedoras da III Mostra de Investigação Científica Escolar (Mice 2019).

 

Outro destaque foi o lançamento da 4ª Edição da Revista EcoEscola BH. Para a diretora de educação integrada da Secretaria Municipal de educação, Arminda Aparecida de Oliveira, o programa é importante porque busca implementar diversas ações voltadas para as questões socioambientais em articulação com vários órgãos da Prefeitura de Belo Horizonte.

 

“A revista compila os trabalhos realizados nas escolas, por professores e alunos, em várias áreas: produção de hortas, trabalhos de investigação científica, plantios de árvores, entre outros, com a participação também das escolas infantis (Emeis)”, explica.


Últimas Notícias

Jovens jogam futebol em quadra Prefeitura inicia projeto de esportes para jovens em conflito com a lei

Os jovens em cumprimento de medidas sócio-educativas terão oportunidade de frequentar, gratuitamente, oficinas esportivas.

13/12/2019 | 17:05
Prédio comercial na rua Caetés Comerciantes comemoram antecipação do décimo terceiro salário pela Prefeitura

A expectativa é que sejam injetados cerca de R$ 105 milhões na economia da capital.

13/12/2019 | 11:35