Pular para o conteúdo principal

Fachada do Centro de Referência Lagoa do Nado, durante o dia.
Foto: Ricardo Laf/PBH

Centro de Referência Lagoa do Nado oferece oficinas com artistas locais

23/10/2019 | 23:56 | atualizado em 23/10/2019 | 23:57

A Fundação Municipal de Cultura oferece, no Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional Lagoa do Nado (rua Ministro Hermenegildo de Barros, 904, Itapuã), a “Oficina de Sentimentos”, com o poeta Rogério Salgado, neste sábado, dia 26, das 10h às 11h30, e a “Oficina Ritmo, Corpo e Palavra”, com o artista Babilak Bah, de 26 de outubro a 17 de novembro, sábados e domingos, das 15h às 17h. Ambas as atividades são gratuitas e, para se inscrever, os interessados devem ligar no telefone (31) 3277-7420 ou enviar e-mail para crcp.fmc@pbh.gov.br.

 

A “Oficina de Sentimentos” abordará reflexões sobre a importância do amor, da amizade e da tolerância, referindo-se a personalidades que evocam esses temas, como Gandhi, Dalai-Lama, Jesus Cristo e outros que clamaram por igualdade, justiça e um mundo melhor. Ofertada para um público a partir de 18 anos, a oficina terá duração de aproximadamente 90 minutos com capacidade para 20 pessoas. O trabalho será desenvolvido com vídeos, músicas e exercícios corporais.

 

A “Oficina Ritmo, Corpo e Palavra” tem como propósitos problematizar, despertar, desenvolver o potencial criativo e ampliar o pensamento crítico.  Ela contempla a pesquisa, a promoção do potencial de criação da voz poética, do canto e de reflexões em torno da literatura produzida por autores e autoras negras. A atividade traz textos importantes da literatura brasileira, produzidos tanto pelo cânone como pela poesia da diáspora negra. As dinâmicas envolverão ritmo como linguagem, corpo como expressão e palavra como potência para a criação artística. Destina-se a um público a partir de 16 anos e tem capacidade para 25 pessoas.

 

 

Os oficineiros

Rogério Salgado é de Campos dos Goytacazes (RJ) e reside em Belo Horizonte desde os anos 80. Em 1982 publicou seu livro de estreia “Tontinho” (Conto – Edição do Autor) e durante a década de 80 editou a Revista Arte Quintal. Em 1993 criou o projeto “In/Sacando a Poesia” (Prêmio Capital Nacional-Categoria Poesia-Aracaju/SE, em 1998), que consistia em colocar poemas dentro de saquinhos de embalar pães nas padarias.  Realizou, com Virgilene Araújo, entre 2005 e 2014, o Belô Poético Encontro Nacional de Poesia de Belo Horizonte e o projeto Poesia na Praça Sete, com benefícios da Lei Municipal de Incentivo a Cultura de Belo Horizonte.

 

É membro da International Writers and Artists-USA. Em 44 anos de carreira literária publicou mais de 30 livros, sendo os últimos: “Naqueles tempos da Arte Quintal” (co-edição RS Edições e Baroni Edições) e “Glória” (co-edição RS Edições e Baroni Edições), ambos publicados em 2018. Tem também trabalhos publicados em jornais do Brasil e do exterior.

 

Babilak Bah é paraibano e há décadas reside em Belo Horizonte. É um artista do ruído, poeta e arte-educador. Além disso, é autor dos álbuns “Enxadário: Orquestra de Enxadas” (2006) e “Biografia de Homens Inquietos” (2011), tendo lançado também o DVD “Afroprogressivo”. Publicou os livros de poemas “Voomiragem” (2003) e “Corpoletrado” (2009). É diretor musical do grupo Trem Tan Tan. Atualmente está na produção do livro “Uma Clínica de Instantes Inusitados”, e está com a exposição “Enxadigma”, que trabalha com a enxada, signos de linguagens e denúncia social. Informações para o público pelo telefone (31) 3277-7420.