Pular para o conteúdo principal

Bolsa Pampulha promove palestra com o fotógrafo Rony Maltz
Divulgação: Dafne Capella

Bolsa Pampulha promove palestra com o fotógrafo Rony Maltz

criado em 18/07/2022 - atualizado em 18/07/2022 | 16:36

A Prefeitura de Belo Horizonte, em parceria com o Viaduto das Artes, promove palestra com Rony Maltz, editor-assistente da Zum, a revista de fotografia do Instituto Moreira Salles (IMS). O encontro integra a programação do “Diálogos MAP” e ocorre na próxima sexta-feira (22), às 14h, no Viaduto das Artes (Avenida Olinto Meireles, 45, Barreiro). Nessa mesma ocasião, o ateliê coletivo que reúne os artistas desta edição do programa Bolsa Pampulha estará aberto para visitação. A entrada é gratuita. Outras informações podem ser encontradas no site do Bolsa Pampulha.

 

O “Diálogos MAP” consiste em uma programação de atividades presenciais e abertas ao público que integram a 8ª edição do Bolsa Pampulha, iniciativa do Museu de Arte da Pampulha (MAP). Ao longo do programa de residências artísticas, várias palestras, mesas redondas e encontros com artistas e pesquisadores estão sendo realizadas, de forma a incentivar e instigar a produção artística local.

 

Artista visual e professor, Rony Maltz tem ampla experiência em linguagens visuais e publicações sobre fotografia. “Acredito muito na arte impressa independente e no poder da fotografia em convergência com o formato impresso, o que sigo pesquisando em um doutorado na UFRJ”, diz o fotógrafo. 

 

Para Janaína Melo, diretora de museus da Fundação Municipal de Cultura, a presença de Rony Maltz reforça o importante papel que o Diálogos MAP tem exercido nessa edição do Bolsa Pampulha. “Trata-se de uma excelente oportunidade para compreender, por meio do compartilhamento de pesquisas e processos de atuação dos convidados, as dinâmicas de difusão e pesquisa acerca de propostas artísticas e culturais emergentes”, avalia Janaína.

 

 

Sobre o Bolsa Pampulha

 

Uma das mais importantes iniciativas que envolvem residência artística e estímulo à produção de artes visuais no cenário brasileiro, o Bolsa Pampulha apresentou novidades nesta edição. Entre elas, ampliou sua atuação e abarcou os segmentos de design, arquitetura e arte-educação, além de artes visuais, o que aumentou o número de bolsas, que foram de 10 para 16 bolsistas selecionados. Também criou um recorte territorial, de forma a atender exclusivamente artistas, designers, arquitetos, educadores, entre outros, residentes em Belo Horizonte ou na região metropolitana da capital mineira, integrando os esforços da Prefeitura em apoiar o setor cultural da cidade que foi fortemente impactado pela pandemia de Covid-19. O programa é uma realização do Museu de Arte da Pampulha (MAP).

 

 

Viaduto das Artes

 

O Viaduto das Artes é um equipamento cultural e multidisciplinar instalado no Barreiro, região periférica de Belo Horizonte. Conta com galeria de arte, biblioteca, ateliês, jardim de esculturas, espaços formativos e expositivos instalados no baixio de um viaduto. Com área aproximada de 1.000 m², o local mantém diálogo cotidiano com a comunidade ao redor, e trabalha em prol do impacto cultural, educacional e social naquele território. A região, que engloba mais de 300 mil habitantes, exibe um cenário de tensões sociais e econômicas comuns à periferia de qualquer grande cidade brasileira. O equipamento cultural cumpre um raro papel de aproximação e transformação junto a essa vizinhança. O Viaduto das Artes foi selecionado como Organização da Sociedade Civil (OSC) para realizar a edição atual do Bolsa Pampulha.