Pular para o conteúdo principal

Roupas coloridas, Chapúes divertidos e instrumentos de percussão fazem parte do figurino dos mais de 15 participantes do Bloco Maluco Beleza, de Venda Nova.
Foto: Avanilton de Aguilar/PBH

Bloco Maluco Beleza participa do Carnaval 2018 em Venda Nova

06/02/2018 | 18:58 | atualizado em 15/02/2018 | 13:22
Usuários do Centro de Convivência Venda Nova já estão aquecendo os tamborins para a saída do bloco Maluco Beleza. O bloco realiza seu Pré-carnaval na tarde da próxima quinta-feira, dia 8 de fevereiro, com um cortejo pelas ruas do bairro São João Batista. 

A concentração acontece a partir das 13h, em frente ao centro de convivência (rua Expedicionário Américo Fernandes, 116, bairro São João Batista) e a saída  está prevista para 14h, em direção à praça da rua Cyrene Crivellari Bellônio, e posterior retorno para o centro de convivência. A atividade é aberta para a comunidade.  

Composto por usuários, familiares, trabalhadores e amigos do Centro de Convivência Venda Nova, o bloco já tem três anos e foi criado a partir das oficinas de arte que reúnem teatro, música e artes visuais. A escolha do nome surgiu de uma votação entre os próprios usuários em homenagem ao músico Raul Seixas. 

O “Maluco Beleza” é uma ação desenvolvida no Centro de Convivência Venda Nova com objetivo de estimular e facilitar aos usuários a participação ativa na vida cultural da cidade. Por meio de uma atividade transdisciplinar que abrange teatro, música e artes visuais, a atividade cria oportunidades de visibilidade ao cidadão em sofrimento mental e à luta antimanicomial, em uma manifestação por liberdade e respeito.



Diversão nos preparativos 

A preparação para o Carnaval já é um motivo de alegria para os usuários. Raquel Costa Lage, 40 anos, participa da oficina de música e artes visuais e conta como é trabalhar nos preparativos. "Estou adorando confeccionar as fantasias de Carnaval e tirar fotos. Também gostei de ensaiar as marchinhas e construir o estandarte que está ficando lindo. Aqui é como se fosse a minha segunda casa". 

Já Sinvaldo Ferreira de Souza, conhecido como MC Menininho, 39 anos, usuário da oficina de música e artesanato, aproveita o Carnaval para reafirmar suas convicções. "O Carnaval é uma oportunidade para a gente se manifestar e assim garantir os nossos direitos”, disse.

Para a usuária Aline Lima, que está confeccionando sua fantasia na oficina de artesanato, o bloco é importante porque mostra a força e capacidade dos usuários do Centro de Convivência. “É importante sair pelas ruas e sermos reconhecidos e não ficar só dentro do centro. Aqui é como se fosse minha segunda família, todo mundo se respeita. É importante as pessoas conhecerem nosso trabalho e o que é feito aqui", afirmou Aline.



Política de Saúde Mental

A política de saúde mental de Belo Horizonte tem como premissa a lógica do tratamento em liberdade aos sujeitos com sofrimento mental, valorizando o cuidado de forma humanizada, buscando assim, a conquista da cidadania e a reinserção social. Parte do trabalho desenvolvido pelos centros de convivência tem como missão o resgate e a construção da cidadania do sujeito com sofrimento mental, sua reabilitação e inserção social, fazendo valer a circulação destes novos atores pela cidade.

Em Venda Nova, o centro de convivência oferece oficinas de música, teatro, pintura, cerâmica, letras e artesanato, além de e outras atividades como ginástica, passeios, oportunidades de inserção no mercado de trabalho e Educação de Jovens Adultos (EJA).