Pular para o conteúdo principal

Quinze pessoas se reúnem em círculo, dinâmica do projeto Roda de Conversa que permite a troca de experiências.
Foto: Elenice Santos

BH em Pauta: Projeto Roda de Conversa

21/07/2017 | 16:42 | atualizado em 24/07/2017 | 12:49
Oferecer um espaço no qual as pessoas possam buscar informações, expressar opiniões e compartilhar reflexões sobre a importância do cuidado e da participação na rede da saúde. É com esse objetivo que há dois anos e meio nasceu o projeto Roda de Conversa, desenvolvido pela Gerência Regional de Saúde Oeste.


O encontro é realizado em unidades de saúde da regional Oeste de Belo Horizonte ou em áreas próximas a estas, com reuniões mensais de um grupo aberto (média de 20 pessoas), com duração mínima de 40 minutos. Os temas são escolhidos e as datas definidas pelos participantes, havendo um facilitador que media a discussão. Textos, músicas, pesquisas, profissionais convidados e outros recursos são utilizados, além de parcerias intersetoriais com outros programas da Regional.


Realizado junto ao programa Lian Gong 18 Terapias, o projeto Roda de Conversa é uma oportunidade para que os participantes possam reconhecer-se integralmente como sujeitos, física e emocionalmente, convidados à busca e produção de conhecimento, por meio do diálogo sobre o cuidado com a saúde, escutando os outros e a si mesmos.


Segundo a idealizadora do projeto, Irlene Viana Parreiras, técnica superior de Saúde e psicóloga clínica, nota-se o processo de empoderamento em que usuários se tornam pessoas mais ativas com criação de espaços informativos de promoção da saúde e hábitos de vida saudáveis, bem como a captação de pessoas para uma participação crescente em comissões locais de saúde, conferências e fóruns. “A posição passiva de queixa leva ao adoecimento, e, através do pensar, opinar e expressar vivências surge uma posição ativa.”


Mariana Oliveira, ambientalista de 35 anos, participante da Roda de Conversa Salgado Filho, destaca que “vivemos hoje em um mundo de muita informação, mas pouco conhecimento, de muitas amizades virtuais e poucas amizades que se possa ouvir a voz, sentir o toque, o calor e abraço. E contrapondo a tudo isto, a roda de conversa traz uma comunicação quente. Somos seres emocionais. Está cientificamente comprovado o poder que tem o amor, o carinho, a fé, o cuidado com o outro na cura de qualquer doença.”


De fato, com a modernidade e as novas formas de relação do homem com o meio em que vive, vem ocorrendo o aumento de doenças crônicas não transmissíveis, que geram incapacidades, sofrimento e morte prematura. Assim, considerando as mudanças e transformações que a saúde e sistemas de cuidados vêm sofrendo, é fundamental que formas mais práticas e menos dispendiosas de produção de saúde sejam encontradas, avalia a idealizadora do Roda de Conversa.


Irlene ressalta que o projeto é democrático pela troca de saberes na procura de responsabilização com o autocuidado e a melhoria da qualidade de vida. “Só podemos pensar promoção e prevenção da saúde a partir de espaços que possibilitem mudança de comportamento. Esta ocorre a partir de uma escuta diferenciada, permitindo a pessoa conhecer a realidade interna e pensar onde está, aonde quer chegar e o que vai fazer para alcançar mudanças.”


Mediadora e aprendiz

Entendidas e traduzidas pelos cuidadores como um lugar de aprendizado que, além de estabelecer vínculos afetivos, desenvolve a confiança e a capacidade de analisar situações, a Roda de Conversa proporciona a integração entre os participantes e estimula a comunicação e a partilha de sentimentos, opiniões e discussões, tornando-se assim um espaço de cuidados que contribui de forma direta para a promoção da saúde.


Para Selma Regina do Nascimento Costa, 55, auxiliar de saúde bucal no Centro de Saúde Noraldino de Lima e instrutora de Lian Gong desde 2008, é um momento descontraído de compartilhar informações. Mais que uma mediadora, ela se sente uma aprendiz. “Depois da Roda de Conversa percebi minha mente mais ativa e curiosa, porque passei a pesquisar e estudar mais sobre os temas que são escolhidos pelos participantes. Através das informações partilhadas, percebi a necessidade de sair da teoria e praticar de verdade o que este encontro está me ajudando a construir - atitudes saudáveis em tudo o que me faz sentir viva: social, física, mental e espiritual. Isso para mim é saúde!”


E a ambientalista Mariana finaliza com uma frase de John Donne (1572-1631), um poeta jacobita inglês, pregador e o maior representante dos poetas metafísicos da época: “Nenhum homem é uma ilha isolada; cada homem é uma partícula do continente, uma parte da terra; se um torrão é arrastado para o mar, a Europa fica diminuída...”


Confira a atual lista de locais nos quais acontecem as rodas de conversa da regional Oeste:

- Parque Jacques Costeau - Rua Augusto José dos Santos, 366, Bairro Betânia com a mediadora Sara;
- Auditório da Sede da Regional – Av. Silva Lobo, 1280 – 2º andar, Nova Granada com a mediadora Selma;
- Centro de Saúde Ventosa – Rua Conselheiro Joaquim Caetano, 1782, Bairro jardim América com a mediadora Ângela;
- Centro Cultural Salgado Filho – Rua Nova Ponte, 22, Bairro Salgado Filho com a mediadora Maria de Jesus.
Os interessados devem procurar informações na unidade de saúde mais próxima de sua residência.

 

21/07/17. Projeto Roda de Conversa pela promoção da Saúde. Fotos: Elenice Santos/PBH