Pular para o conteúdo principal

Autoridades da PBH recebem prêmio.
Foto: Divulgação/PBH

BH em Pauta: Luminárias Inteligentes

26/06/2017 | 17:38 | atualizado em 30/06/2017 | 13:20

Após subir uma posição no ranking e ficar em quarto lugar no quadro de cidades mais inteligentes e conectadas do Brasil, de acordo com o estudo Connected Smart Cities 2017, Belo Horizonte se prepara agora para alçar voo rumo a patamares mais elevados. Além de permitir uma economia de 45% nos gastos da Prefeitura com iluminação pública, uma nova parceria público-privada (PPP) vai tornar a capital mineira ainda mais inteligente. Isto porque está prevista a utilização de luminárias nos postes públicos que se comunicam entre si, nos moldes do que acontece em países de primeiro mundo, como Inglaterra e Estados Unidos.
 

Na última quinta-feira, dia 22 de junho, o consórcio BH Iluminação Pública (BHIP), vencedor da PPP lançada pela Prefeitura, assumiu a manutenção do serviço na cidade. O primeiro passo é a implantação das lâmpadas de LED na iluminação pública, o que vai gerar economia, maior durabilidade e baixa manutenção, dadas as vantagens em relação à iluminação de sódio e mercúrio.
 

Porém, o trabalho vai além de uma simples substituição, uma vez que o objetivo é oferecer um leque de serviços para a população de Belo Horizonte. No segundo semestre deste ano está prevista, além do início da troca das lâmpadas, a instalação de novas luminárias – que vão formar uma rede. São cerca de 185 mil postes em todo o município.
 

Deste número, cerca de 33 mil estarão conectadas por meio do serviço de telegestão, que consiste no controle e mapeamento específico de cada local. No caso da iluminação pública, a ideia é que esta rede possibilite a troca e a emissão de informações. A capital mineira é a primeira capital do país a utilizar este serviço.
 

Com isso, será possível, por exemplo, alterar a intensidade da iluminação, o que vai gerar economia para os cofres públicos; proporcionar a troca de informações e integrar o serviço com outros equipamentos, como semáforos e câmeras; atuar mais rapidamente na manutenção do sistema, sem que haja a necessidade de uma vistoria ou  denúncia; e até, futuramente, criar uma imensa rede Wi-Fi. O primeiro trecho a receber o serviço será o que fica entre as praças Raul Soares e da Estação. Posteriormente, o sistema será ampliado. 

 

Contrato

O presidente da Prodabel, Leandro Garcia, participou das discussões sobre a proposta de inclusão das luminárias inteligentes na parceria e destacou que a assinatura da PPP representa um novo tempo para BH. 


“Sem dúvida, a iluminação pública será uma grande aliada para a transformação da cidade. O conceito de smart city (cidade inteligente, em inglês) consiste na utilização da tecnologia para melhoria da qualidade de vida das pessoas e é exatamente isto que estamos fazendo com o sistema de iluminação”, afirmou. 
 

Leandro participou da comitiva da Prefeitura que recebeu, no último dia 21, em São Paulo, o prêmio como quarta colocada entre as cidades brasileiras mais inteligentes e conectadas. “Quando este serviço estiver funcionando certamente vamos subir ainda mais neste ranking”, disse ele. 
 

O contrato, no valor de R$ 496 milhões, sendo R$ 100 milhões da PBH, terá duração de 20 anos, com realização do serviço de substituição nos três primeiros anos. O acordo foi assinado no início do mês de maio.