Pular para o conteúdo principal

Instrutor dá aula de Educação Ambiental para mais de 15 crianças na Fazendinha durante o dia.
Foto: Mara Damasceno/PBH

BH em Pauta: Aulas de Educação Ambiental na Fazendinha

05/09/2017 | 15:56 | atualizado em 15/09/2017 | 13:14
Proporcionar conhecimento e experiência sobre o processo de captação de água pluvial, sistema de irrigação por gotejamento, produção de energias eólica e solar, horta vertical e domiciliar, compostagem urbana e muito mais. Essa é a proposta do projeto “Trilha Legal – Ações Compartilhadas de Educação Ambiental”, que vem sendo desenvolvido no espaço verde da chamada Fazendinha Jardim das Mangueiras, sede da Coordenadoria de Atendimento Regional Nordeste, nova nomenclatura da Secretaria de Administração Regional Nordeste, da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH).

Idealizado pelo servidor e engenheiro Itamar Gomes Cabral, o projeto reúne diversas iniciativas que visam a compartilhar com o morador, escolas, associações comunitárias, empresas e condomínios importantes ações e práticas de educação ambiental. O Trilha Legal nasce na perspectiva de aproveitar o relevante espaço verde da Fazendinha para práticas de educação ambiental, caminhadas ecológicas, oficinas interativas, palestras temáticas, trilha sensitiva, além da preservação da fauna e flora existentes no local.

“Todas as ações do projeto Trilha Legal estão voltadas para a sensibilização, conscientização e mobilização das crianças, jovens e adultos, que precisam despertar para a importância da sustentabilidade ambiental e influência da natureza na nossa vida”, afirma o coordenador das atividades ambientais na Fazendinha, Dênio Pimenta Nacle, integrante do Centro Regional de Educação Ambiental (CEA), da Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Por meio do CEA, todas as espécies arbóreas da área verde da Fazendinha foram devidamente identificadas em placas de madeira.
 

Visitas guiadas

No último dia 29 de agosto foram iniciadas as visitas dos alunos das escolas municipais da cidade à Fazendinha Jardim das Mangueiras. Até o dia 1º de setembro, participaram da iniciativa mais de 150 alunos de escolas municipais da região Norte e do Barreiro. Hoje e amanhã, dias 5 e 6 de setembro, visitam a Fazendinha alunos de outras escolas também da região Norte e do Barreiro.

Com idade entre seis e 14 anos, os estudantes que já fizeram a visita tiveram a oportunidade de vivenciar diversas práticas ambientais. Marx Víctor Gomes Souza, 12, aluno do 7º ano do Ensino Fundamental na Escola Municipal Secretário Humberto Almeida, ficou encantado com a Fazendinha: “É muito bom conhecer coisas novas, principalmente práticas que nos ensinam como cuidar do meio ambiente, pois precisamos dele na nossa vida. Achei muito legal o projeto de captação de água da chuva, temos que aproveitar os recursos que temos.”

Sônia dos Santos França, coordenadora do programa Escola Integrada na Coordenadoria de Atendimento Regional Norte, acompanhou os alunos na visita à Fazendinha na semana passada e ressaltou a importância da iniciativa: “Os alunos da nossa escola estavam muito curiosos para conhecer a Fazendinha. Experiências como essa proporcionam práticas ambientais e de sustentabilidade que são muito importantes para o processo educacional.”

As visitas à sede da Coordenadoria de Atendimento Regional Nordeste (Rua Queluzita, 45, São Paulo) podem ser agendadas por meio do telefone 3277-6628, com Dênio Pimenta, coordenador de Projetos Ambientais do CEA Nordeste.


Mangueiras e Ipês

A Coordenadoria de Atendimento Regional Nordeste instalou-se na antiga sede da fazenda São João Batista, em 1992, em uma Área de Diretrizes Especiais (ADE) de Proteção Ambiental. Hoje, carinhosamente chamada de Fazendinha Jardim das Mangueiras, o local é uma referência verde de sustentabilidade urbana que encanta os moradores da região. São 14 mil metros quadrados de área verde preservada, formada por vegetação de matas de transição e de cerrado. O espaço abriga uma flora diversa com 240 árvores e arbustos, destacando-se as mangueiras e os ipês.

A Fazendinha tem um pomar bem característico, com várias espécies frutíferas como jaca, carambola, pitanga, amora, ameixa, jabuticaba e jambo. A área é também abrigo e passagem natural para várias espécies de aves de pássaros, destacando-se os tucanos, joões-de-barro, sabiás, maritacas e pica-paus.
 
 

05/09/2017. Educação ambiental na fazendinha. Fotos: Mara Damasceno/PBH