Pular para o conteúdo principal

Dezenas de pessoas com as mãos pra cima praticando Lian Gong
Foto: Divulgação/PBH

Belo Horizonte oferece terapia chinesa em praças e parques

13/03/2019 | 17:37 | atualizado em 13/03/2019 | 17:37
Música serena e grupos executando movimentos sincrônicos e lentos chamam a atenção de quem transita por diversos espaços públicos de Belo Horizonte. O Lian Gong, uma terapia chinesa inspirada em práticas milenares, é oferecido gratuitamente pela Prefeitura em dezenas de unidades de saúde, praças, parques, igrejas e centros esportivos da cidade.

 

O Centro Esportivo Milionários (rua David Fonseca, 1385) reúne o maior grupo da cidade, com mais de 150 inscritos e soma, com os demais grupos do Barreiro, mais de 3,5 mil praticantes. Com muita disposição e lucidez, Ademar Gomes, com seus 89 anos, acompanha com perfeição todos os movimentos dos instrutores. “Eu sentia muitas dores por causa da osteoporose, mas depois que comecei a fazer a terapia, já não sinto mais. Estou mais disposto e alegre”, conta. A instrutora do grupo, Marilda Zacarias, que atua com a prática há 11 anos, explica como são obtidos os benefícios. “Com a prática, conseguimos dissipar as energias bloqueadas, desfazendo nós de tensão e liberando a energia dos órgãos, ossos, tendões e músculos”, destaca a fisioterapeuta.

 

A presidente do Instituto Mineiro de Tai Chi e Cultura Oriental, membro do conselho consultivo da Shangai Municipal Lian Gong Shi Ba Fa Asssociation (China) e professora de Lian Gong, Maristela Botelho, avalia a aceitação da prática pelos moradores de Belo Horizonte. “Vejo que o número de praticantes só aumenta. A cidade é um grande exemplo, pois há apoio dos gestores da Rede Municipal de Saúde e os professores e alunos são comprometidos”, ressalta Maristela.

 

Coordenadora do projeto Lian Gong desde a sua implantação em Belo Horizonte, em 2007, a médica Luzia Hanashiro ressalta que a cada ano, 40 novos profissionais da rede são capacitados para serem instrutores de Lian Gong. Segundo a gerente de Promoção da Saúde de Belo Horizonte, Tatiane Caetano, 65% dos praticantes são idosos, mas sempre chegam alunos novos de várias faixas etárias. A gerente reforça a importância do programa na promoção da saúde. “Nossas pesquisas mostram resultados positivos na diminuição do uso de medicamentos e alívio de dores crônicas, também identificamos melhora significativa no sono e na qualidade de vida”.

 

O que é a terapia

Lian Gong em 18 Terapias é uma prática corporal fundamentada na Medicina Tradicional Chinesa, especialmente desenvolvida para prevenir e tratar dores no corpo. A ginástica tem uma abordagem integrativa do corpo e da mente com a natureza. Ela melhora o funcionamento dos órgãos internos, estimula a percepção dos sentidos, trabalha as emoções e busca o prolongamento da vida com qualidade.

 

A técnica foi elaborada pelo ortopedista chinês Zhuang Yuan Ming na década de 70. No Brasil, Lian Gong em 18 Terapias faz parte da Política Nacional das Práticas Integrativas e Complementares, como prática corporal da Medicina Tradicional Chinesa e da Política Nacional de Promoção da Saúde.

 

O Lian Gong é composto por um conjunto de exercícios dividido em três etapas: parte anterior, posterior e I Qi Gong. Cada parte contém 18 movimentos harmoniosos que atuam em áreas específicas do corpo. A primeira é composta por seis exercícios que previnem e tratam dores no pescoço e ombros, seis para costas e região lombar, seis para pernas e pés. A segunda tem como objetivo prevenir e tratar dores nas articulações e são seis exercícios para as extremidades, seis para os tendões e seis para as funções dos órgãos internos. A última sequência tem exercícios para potencializar as funções do coração e do pulmão e prevenir problemas cardiovasculares.

 

13/03/2019. Encontro Liang Gong. Fotos: Divulgação/PBH