Pular para o conteúdo principal

Praça da Savassi
Foto: Amira Hissa/PBH

Banco de Alimentos comemora 15 anos com a distribuição de mudas

27/07/2018 | 17:56 | atualizado em 05/11/2018 | 09:05

Para comemorar os 15 anos do Banco de Alimentos, a Prefeitura de Belo Horizonte vai distribuir 500 mudas de plantas alimentícias nesta terça-feira, dia 31, das 11h às 13h, na Praça Diogo de Vasconcelos (Savassi).
 

Técnicos da Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, unidade gestora do Banco de Alimentos de Belo Horizonte, e profissionais do Hospital Sofia Feldman, uma das instituições atendidas por este equipamento, estarão presentes na ação, distribuindo as mudas e conversando com a população sobre a importância da utilização integral dos alimentos.

 

Banco de Alimentos

O Banco de Alimentos recebe produtos que perderam o valor para o comércio, mas que ainda estão adequados para o consumo. Os alimentos recebidos são selecionados e distribuídos gratuitamente a 40 instituições cadastradas que produzem e distribuem refeições gratuitas a pessoas em situação de vulnerabilidade social, beneficiando cerca de 6 mil cidadãos, semanalmente.
 

As doações podem ser feitas por pessoas físicas, supermercados, sacolões, outros bancos de alimentos da região metropolitana de Belo Horizonte e também de agricultores familiares.
 

As doações devem ser entregues na rua Tuiuti, 888, no Padre Eustáquio. O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Dúvidas podem ser esclarecidas nos telefones (31) 3277-5713 e (31) 3277-4781.
 

Nutricionista coordenadora do Hospital Sofia Feldman, Karina Barbosa explica que as doações são importantes para manter a qualidade e a diversidade da alimentação dos pacientes do hospital. “As doações são importantíssimas! Caso venham itens que não temos o hábito de usar, readequamos o nosso cardápio e servimos aos pacientes. Se são produtos que já compramos, como açúcar e arroz, por exemplo, passamos a adquirir em menor quantidade ou deixamos de comprá-los, o que permite investir o nosso dinheiro em outras áreas”, esclarece.
 

Para a coordenadora da Central de Abastecimento da Agricultura Familiar e Urbana e do Banco de Alimentos, Eulália de Lima Gomes, o banco de alimentos fortalece instituições socioassistenciais, dando um novo significado a alimentos que antes seriam desperdiçados, mas que passam a ser destinados a quem mais precisa.