Pular para o conteúdo principal

Dezenas de crianças sentadas no chão assistindo apresentação musical/teatral
Foto: Divulgação/PBH

Articuladores de leitura ganham espaço nas escolas municipais de Belo Horizonte

03/10/2018 | 15:23 | atualizado em 03/10/2018 | 15:23
A leitura é um hábito essencial na vida de qualquer pessoa. Entretanto, formar leitores não é algo tão simples como parece, é preciso investir em ações que favoreçam as experiências e as práticas de leitura. É nesse contexto que a Secretaria Municipal de Educação investe na formação de Articuladores de Leitura, um curso de atualização oferecido em parceria com o Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita (Ceale) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), contemplando 220 profissionais entre professores e bibliotecários da Rede Municipal de Belo Horizonte.

A gerente dos anos iniciais do Ensino Fundamental, Noara Resende, explica a importância dessa formação. “Essa iniciativa vem ao encontro dos objetivos do Programa Leituras em Conexão, o grande guarda-chuva da nossa política educacional, que visa o aprimoramento da leitura para a melhoria da aprendizagem. Sem dúvida, a formação continuada dos profissionais da Educação é um fator importante para o sucesso desta proposta maior. A intenção desse curso é preparar pessoas para serem articuladoras, dentro da escola e no contexto da rede, buscando convergir as propostas, projetos e ações pedagógicas para um mesmo objetivo, buscando intensificar as ações de leitura e evitando que boas práticas fiquem restritas a um determinado grupo, mas que possam também subsidiar outros trabalhos”.

Para Rita de Cássia Marques Santana, que atua como coordenadora geral da Escola Municipal Belo Horizonte, sua participação no curso já provoca mudanças em seu ambiente de trabalho.“Todo o material dessa formação transformei em power point, agendei uma reunião com todos os professores e apresentei o projeto. A minha escola já realizava algumas ações voltadas para a leitura, mas foi a partir desse momento que as ações passaram a ser mais integradas e conseguimos dar mais visibilidade para os projetos da nossa escola. Conhecer as propostas dos colegas é uma troca benéfica para todos os professores, independente da disciplina que eles ministram. A leitura é o caminho para o conhecimento e todas essas áreas, português, história, geografia, matemática etc, podem utilizar a leitura literária para abordar seus assuntos de sala de aula”.
 

Troca de experiências

As aulas do curso de articuladores de leitura tiveram início no mês de março e a formação será concluída no mês de novembro. As atividades acontecem uma vez por mês, sempre aos sábados, com turmas regionalizadas que são atendidas em escolas municipais. A formação totaliza 40 horas e contempla profissionais de 176 escolas da Rede Municipal de Educação, da Smed e das Regionais de Educação. Além dos momentos formativos, o projeto reúne experiências de várias escolas em encontros regionais, possibilitando a troca de experiências e a divulgação das práticas exitosas.

“Essa formação veio como uma forma de reflexão e estímulo às práticas leitoras em nossa rede. Todas as escolas que estão participando têm projetos belíssimos de leituras, metodologias que são estimuladas pelos formadores da UFMG. São nove polos, nove regionais, e todos tratam dos mesmos assuntos, mas cada articulador dá o seu tom. O impacto na escola já acontece com metodologias mais ativas, mais coletivas, com mais protagonismo dos estudantes que estão participando ativamente da construção dos projetos. Com isso, caminhamos para concretizar o nosso objetivo de tornar a leitura um hábito para todos os alunos da rede municipal”, afirma Nícia Beatriz Espaladori, integrante da gerência dos anos finais do Ensino Fundamental.

Para Valéria Valadares Coimbra, da equipe de acompanhamento pedagógico da Regional Centro-sul, o articulador de leitura trouxe um novo olhar sobre as formas de se trabalhar leitura dentro da escola. “O curso leva a pensar muito no ato de ler, de como a escola apresenta a literatura aos alunos, mostrando como a leitura modifica a vida das pessoas e o quanto acrescenta no crescimento do ser humano. Eu monitoro o trabalho dos articuladores de leitura da Regional Centro-sul e já percebo uma revolução nas escolas. Me reúno, periodicamente, com os cursistas e com os coordenadores gerais e os diretores escolares para potencializar as ações, que já extrapolam a sala de aula, acontecendo em vários espaços da escola, envolvendo não somente os alunos como também os funcionários nas práticas de leitura”.
 

Leituras em Conexão

Lançado em 2017, o Programa Leituras em Conexão, da Secretaria Municipal de Educação, foi desenvolvido com o objetivo de difundir projetos e ações de leitura e escrita nas escolas municipais e instituições parceiras. O programa busca fortalecer atividades já existentes, além de incentivar a criação de outras práticas ao longo de toda trajetória estudantil, do Ensino Infantil à Educação de Jovens e Adultos (EJA). O Leituras em Conexão propõe que todos os projetos sejam de amplo conhecimento de todas as escolas e creches parceiras possibilitando, desta forma, a participação do maior número possível de estudantes e de educadores. Entre as iniciativas do Programa Leituras estão ações como a formação de professores, abertura de bibliotecas escolares nos fins de semana e a criação de parcerias para oferecer cada vez mais opções de projetos para as escolas.
 

03/10/2018. Articuladores de Leitura. Fotos: Divulgação/PBH