Pular para o conteúdo principal

Homem vestido de bailarina sentando no palco olhando para o alto.
Divulgação

Amauri Reis celebra 35 anos de carreira com espetáculo

16/01/2018 | 07:40 | atualizado em 16/01/2018 | 08:52

O Teatro Marília recebe de 18 a 28 de janeiro, quinta a domingo, às 20h, o espetáculo “Boa Noite, Cinderela”, que celebra os 35 anos de carreira do ator Amauri Reis. Com direção de Inês Peixoto e texto de Carlos Nunes, a peça apresenta a história de um bancário cinquentão, bailarino clássico amador que, após conhecer um rapaz na boate, acorda três dias depois em casa, sozinho, sem móveis, sem dinheiro, com medo e sem coragem de acionar um socorro por vergonha. O espetáculo faz parte da 44ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança, realizada pelo Sindicato dos Produtores de Artes Cênicas de Minas Gerais (Sinparc). Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do teatro por R$40,00 (inteira) e R$20,00 (meia), ou de forma antecipada por R$17,00 (preço único) nos postos Sinparc.
 

No ano comemorativo de seus 35 anos de carreira, após mais de 24 meses aprendendo balé clássico para interpretar seu personagem, Amauri Reis, apresenta esse personagem que se vê sem nada e, cheio de angústia, dispara para si mesmo perguntas do tipo: “Como é que eu vou contar para a minha mãe? Como eu vou falar com o meu pai? Como que eu vou contar para o mala do meu chefe? Como vou falar com minha amiga Marcilene?”.  Segundo a diretora Inês Peixoto: “É bonito, por exemplo, os momentos em que ele fala da solidão moderna, essa solidão em que a gente está acompanhado por milhões de seguidores nas redes sociais, e ao mesmo tempo está todo mundo sozinho”.
 

“A peça mostra essa grande vergonha, aqui representada pelo cara que não pode contar a tragédia que ocorreu com ele, por ter um nome a zelar no banco e com os pais, já que é um gay totalmente dentro do armário. E nem para a melhor amiga, com medo da zombaria por ter levado um menininho para casa, já que ela não vai entender que ele queria  mesmo era companhia e carinho. É a partir daí que falamos de solidão e de amor,  com um contexto atual, já que estamos vivendo um momento de exacerbação da homofobia, onde um cara entra numa boate e mata, a tiros, 50 homossexuais. É um espetáculo que alerta para que as pessoas se respeitem, independente se é branco, negro, espírita, católico, hétero ou homossexual”, diz Amauri.”

 

Amauri Reis

Formado pelo Palácio das Artes, em 1979, Amauri Reis possui mais de cinquenta espetáculos teatrais em seu currículo entre, produção, atuação e direção. Entre as peças mais recentes em que atuou estão “Na Virada do Sexo” de Wesley Marchiori; “Vexame” de Wesley Marchiori e “Toda Nudez Será Castigada” de Nelson Rodrigues. Fez também participações em novelas e séries da TV Globo e atuou no cinema em “Amor e Cia.”, dirigido por Helvécio Ratton.

 

44ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança

Conhecida como um dos eventos mais tradicionais da cena cultural de Belo Horizonte e como a maior ação de popularização das artes cênicas do País, a 44ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança acontece em Belo Horizonte de 5 de janeiro a 4 de março. O evento conta com o apoio cultural da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Fundação Municipal de Cultura e Belotur. Serão diversas peças teatrais e musicais voltadas ao público adulto e infantil, em vários palcos da cidade, com ingressos vendidos a preços populares. A programação completa está disponível no site do Sinparc.