Pular para o conteúdo principal

Cerca de quinze mulheres, e professor, na cozinha manuseando massas e aperfeiçoando sua culinária
Foto: Divulgação/PBH

Vila Viva promove curso de culinária para mulheres do Morro das Pedras

27/08/2018 | 16:40 | atualizado em 27/08/2018 | 17:07
Descasca batata, pica a cenoura, pesa a manteiga, separa os galhos de brócolis, abre a massa. O cheirinho gostoso dos legumes refogados no alho e cebola começa a subir. Tudo pronto para rechear e, pra finalizar, molho, decoração de pimentões e azeitonas, e forno. O resultado de todo esse trabalho, feito com muita alegria, são deliciosas tortas de legumes preparadas por quinze mulheres do Aglomerado Morro das Pedras, região Oeste da cidade.
 
Este é o terceiro módulo do curso de Aperfeiçoamento Profissional que está sendo oferecido ao grupo pela Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel), por meio do Programa Vila Viva Morro das Pedras. Os cursos, que fazem parte do eixo que trabalha a Geração de Trabalho e Renda, são ministrados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), e ao final do último módulo, as participantes receberão os três certificados: de panificação caseira, pizzas e salgados. No total, serão 14 dias de muito aprendizado para esse grupo, que não mede esforços para estar na sala de aula.
 
Segundo a coordenadora do Trabalho Social do Vila Viva Morro das Pedras, Wanja Filgueiras, havia uma pesquisa, feita pela equipe social em 2016, que indicava a potencialidade do local e interesse das mulheres pela área de gastronomia. “Resolvemos seguir esse resultado e optamos por um perfil de mulheres que têm uma situação mais vulnerável e precisam de uma renda porque, na maioria das vezes, são as chefes da família. Para identificar essas mulheres, fizemos uma parceria com a Casa Acolher, projeto social que trabalha com esse público no Morro das Pedras. Os resultados que estamos vendo são muito positivos” contou a coordenadora.
 
Fabiana Rosa, 38 anos, mora na Vila Santa Sofia com o marido e duas filhas. O casamento de hoje não lembra em nada a primeira união, quando passava diariamente por situações de violência doméstica. Nessa fase, Fabiana tinha vergonha de conviver em sociedade e sofria sozinha. Mas com a chegada da filha, a coragem pra sair de casa e o projeto Casa Acolher, sua vida mudou. “Eu fui estudar, arrumei um emprego e de noite carregava massa para construir uma casa no terreno do meu pai. Foram dez anos assim. Agora, me casei de novo e tem dois anos que não consigo emprego. Essa oportunidade que o Vila Viva está dando pra nós é primordial porque precisamos das obras e elas estão melhorando muito nossa vida. Mas também precisamos de obras intelectuais. As pessoas têm que se qualificar até pra aprender a preservar a estrutura que têm hoje. O conhecimento faz a gente crescer e evoluir e toda a sociedade ganha com isso”, concluiu.
 
Seguindo esse pensamento, a turma já está amadurecendo ideias de possíveis negócios para quando o curso terminar. No final de semana elas se reúnem pra testar as receitas e discutir alternativas para colocar em prática o que aprenderam. Jucimária Pinheiro, 32 anos, moradora da Vila Antena, não vê a hora de começar a atuar na gastronomia. Para ela, a área está crescendo muito e vai ao encontro com uma vontade que sempre teve de trabalhar preparando alimentos. “Sempre fui auxiliar de limpeza, mas estou desempregada há dois anos e tenho uma filha. Estou vendo uma ótima oportunidade de me reintegrar ao mercado em outra função. O curso está sendo ótimo pra mim e pra toda a turma. A estrutura, o material, a didática, tudo está maravilhoso. Estamos pensando em montar uma cooperativa, fazer vendas pela internet e também fazer lanches para eventos e reuniões”, explicou.
 
Segundo a pedagoga do Senai, Fernanda Araújo, as alunas formam uma turma exemplar. O curso começou com 16 mulheres, mas uma conseguiu um emprego no mesmo horário e teve que parar. As outras 15 nunca tiveram uma falta e o feedback recebido dos instrutores é de que elas são extremamente dedicadas. “Eu nunca vi aqui uma turma em que todas estivessem tão empenhadas e empolgadas. Elas chegaram numa vontade que está deixando os instrutores encantados. Com certeza virá daí uma boa possibilidade de renda para essas mulheres”.
 
O trabalho social que está sendo realizado com esse e outros grupos de moradores faz parte do Programa Vila Viva do Aglomerado Morro das Pedras, que compreende obras de urbanização de becos, ruas, praças, parques, construção de unidades habitacionais, rede de esgotamento sanitário e distribuição de água, iluminação pública, tratamento de áreas de risco elétrico e geológico.
 

27/08/2018. Curso de Culinária do programa Vila Viva. Fotos: PBH/Divulgação


Últimas Notícias

Mapa descrevendo o desvio na Av. Afonso Pena BHTrans faz operação de trânsito para Carnaval 2020 na avenida Afonso Pena

Para a segurança de todos, a BHTrans orienta os motoristas que redobrem a atenção e respeitem a sinalização implantada.

21/02/2020 | 14:02
Mãe segurando a filha no Hospital Odilon Behrens Hospital Odilon Behrens oferece uma rede ampla de atenção à gestante

As mulheres são atendidas por demanda espontânea ou por meio de encaminhamento feito por outros serviços de saúde.

21/02/2020 | 12:41