Pular para o conteúdo principal

Informações da Prefeitura sobre o Covid-19
Foto: Arte PBH

Velocidade de transmissão da Covid-19 mantém tendência de redução em BH

07/08/2020 | 19:48 | atualizado em 14/08/2020 | 20:30

Desde o início da pandemia, a Prefeitura de Belo Horizonte adotou critérios rigorosos para distanciamento social e funcionamento de atividades econômicas. Somado ao comprometimento da maior parte da população e dos comerciantes, a capital, agora, está conseguindo retomar a reabertura de maneira gradual e segura, sem comprometer a assistência à saúde da população. Com as evidências científicas e os critérios técnicos adotados pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19, a Prefeitura autorizou a reabertura das atividades contempladas na Fase 1 nessa quinta-feira (6) e vem acompanhando os indicadores epidemiológicos atentamente.

De acordo com o 13º Boletim de Monitoramento da Covid-19 divulgado nesta  sexta-feira (7), a velocidade de transmissão da doença está perdendo força de maneira gradual. Do final de julho em diante, o número de infecção por infectado (Rt) se estabilizou e iniciou uma tendência de queda. Em 28 de julho, o Rt médio estava em 0,99 e hoje registrou 0,87 – o menor patamar até o momento, mantendo-se no nível verde.

Essa redução implica em menor número de novos casos, o que tem refletido em uma menor demanda por internações, principalmente das alas de enfermaria. Dados do Boletim Epidemiológico e Assistencial divulgados na segunda-feira (3) mostravam que a taxa de ocupação de Enfermaria para Covid, incluindo as redes SUS-BH e Suplementar (privada), estava em 53,8%, e nessa quinta-feira ficou em 52,1%.

O índice assistencial para os casos mais graves que necessitam de terapia intensiva se mantém na faixa vermelha, mas com tendência de queda que pode se acentuar nas próximas semanas, se mantida a redução no número de novos casos. De segunda até quinta-feira, a taxa de ocupação de leitos de UTI, que também inclui a Rede SUS-BH e a Rede Suplementar, passou de 80,6% para 76,6%, aproximando-se do nível amarelo.

O secretário municipal de Saúde, Jackson Machado, aponta a redução significativa de pacientes que aguardam um leito em Belo Horizonte durante esta semana. “Hoje (sexta-feira), às 8 da manhã, a fila para internação estava zerada, tanto para enfermaria quanto para UTI Covid”, informou Jackson.

Mesmo com o índice de alerta geral da Covid-19 permanecendo nesta edição do boletim no vermelho (Rt em verde; leitos Enfermaria em amarelo; leitos de UTI em vermelho), a trajetória de queda nos indicadores sustentam a permanência na fase 1.

“Considerando que a reabertura contribua para maior circulação de pessoas, é fundamental o rigor na aplicação dos protocolos e na observação dos cuidados individuais. Temos que continuar reduzindo a velocidade de transmissão para diminuir o nível de ocupação de leitos hospitalares para Covid. Diante disso, pedimos que a população continue adotando as medidas de segurança e só saia para o necessário. A doença ainda está muito presente e qualquer descuido pode refletir numa nova onda de ascensão da doença”, disse o secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão, André Reis.

A decisão para avançar ou não para a próxima fase de reabertura acontecerá daqui a duas semanas – quando os impactos dessa primeira fase de retomada serão perceptíveis. No entanto, o Município esclarece que caso haja piora nos indicadores, a decisão sobre suspender tais atividades pode ocorrer a qualquer momento.

Todo o histórico de reabertura, os protocolos e regras vigentes podem ser acompanhados na página exclusiva criada pela Prefeitura, disponível neste link. Nele, os empresários e empreendedores podem consultar se seu estabelecimento está autorizado a funcionar na data da consulta e todas as orientações necessárias. A pesquisa pode ser feita pelo código ou descrição da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) ou pelo grupo de atividades.

 

Transporte coletivo

Nessa quinta-feira (6), primeiro dia da retomada do processo de reabertura das atividades econômicas, foi registrado um aumento de 53 mil passageiros transportados pelo sistema de transporte coletivo da capital, o que representou elevação de 11,2% na comparação com a quinta-feira da semana anterior.

Em função do escalonamento do horário de funcionamento das novas atividades autorizadas a abrir, a ampliação da demanda ocorreu principalmente nas faixas fora dos horários de pico, com novos 38 mil passageiros (crescimento de 17,8%). Nos horários de maior demanda, o crescimento no número de passageiros transportados foi de apenas 5,7% (15 mil passageiros), com destaque para o pico da manhã, com crescimento de apenas 2,3%.

Para atender ao aumento da demanda, as viagens foram ampliadas em 11% (1.440 novas viagens), mantendo assim a média de 36 passageiros transportados registrados na quinta-feira da semana anterior. Considerando o aumento médio da oferta diária em mais de 700 viagens a partir de 23 de julho, foram mais 2,2 mil viagens ofertadas à população, uma alta de 17%.

 

Veículos na área central e nos principais corredores

O fluxo de veículos na área central também registrou uma ampliação de 6,3% na comparação com a quinta-feira da semana anterior. Nos principais corredores da cidade esse aumento foi de 3,6%.