Pular para o conteúdo principal

Maurício Tizumba se apresenta no palco
Foto: divulgação/Tambor Mineiro

Teatro Raul Belém Machado recebe musical de Maurício Tizumba

10/12/2019 | 17:44 | atualizado em 10/12/2019 | 19:14

O musical “Galanga, Chico Rei”, do artista Maurício Tizumba, é a atração do Espaço Cênico Yoshifumi Yagi/Teatro Raul Belém Machado nesta quarta-feira, dia 11, às 20h. Com sonoridade que remete às raízes musicais afro-brasileiras, sobretudo a do congado de Minas Gerais, o espetáculo homenageia a história de Galanga, um rei africano escravizado no Brasil e que comprou a própria liberdade, além de libertar centenas de outros escravos.

A peça musical foi selecionada por meio do edital CenaPlural 2019, promovido pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, e tem entrada gratuita.

“Galanga, Chico Rei” é o principal e mais recente trabalho musical da carreira de Maurício Tizumba. O disco, que foi gravado e lançado em 2015, traz 11 faixas, todas compostas por Paulo César Pinheiro, um dos mais consagrados compositores brasileiros, sendo três delas fruto da parceria de longa data com o cantor, violonista e produtor musical Sérgio Santos e duas com o próprio Tizumba. O álbum recebeu o Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afro-Brasileiras.

A narrativa sonora, resultado de extensa pesquisa empreendida por Paulo César Pinheiro, foi criada originalmente para a peça homônima escrita por ele, dirigida por João das Neves e protagonizada por Tizumba, que estreou em 2011.  A partir do texto, do roteiro da peça e dos arranjos do disco, Mauricio Tizumba traz um espetáculo em formato reduzido.

Na peça, Tizumba apresenta a coroação de um rei do Congo, com cantos, danças, levantamento de mastros e muita música, mesclando cultos católicos com africanos. Estes rituais são dedicados à protetora tradicional dos negros no Brasil, Nossa Senhora do Rosário, e vários santos negros, especialmente São Benedito e Santa Efigênia.

"Galanga, Chico Rei" revê, então, a história tradicional do país e da cultura sob o prisma da identidade afro-brasileira. E faz um resgate sob o ponto de vista do povo negro como vencedor – e não somente como sofredor, como muito já foi feito –, configurando-se como importante ato de resistência política e cultural por destacar os heróis que a história oficial tenta sempre apagar.


CenaPlural

O CenaPlural foi criado pela Prefeitura de Belo Horizonte com o objetivo de fortalecer e potencializar a produção artística nos espaços públicos, promover uma programação cultural diversa e qualificada para a população belo-horizontina, além de premiar e difundir o trabalho de artistas, coletivos e grupos locais.

Os grupos selecionados vêm se apresentando nos teatros Francisco Nunes, Marília e Raul Belém Machado, além dos centros culturais da Fundação Municipal de Cultura, ou integrando a programação de projetos especiais como o “Terça da Dança” e o “Música de Domingo”.


Últimas Notícias

Agentes da Defesa Civil em atendimento na Vila Biquinhas Prefeitura atende 474 chamados em razão das chuvas nas últimas 36 horas

Assim como no dia anterior, moradores do Barreiro foram os que mais acionaram a Defesa Civil, totalizando 53 chamados nesta sexta-feira.

24/01/2020 | 19:10
Ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, o procurador-geral de Justiça Antônio Sérgio Tonet e o prefeito Alexandre Kalil Ministra Cármen Lúcia visita gabinete do prefeito no COP

O encontro foi realizado no Centro Integrado de Operações de Belo Horizonte (COP-BH), para onde o prefeito transferiu seu gabinete.

24/01/2020 | 14:23