Pular para o conteúdo principal

Jéssica Gaspar
Foto: Divulgação/PBH

Show de Jéssica Gaspar e curta-metragem são destaques no Circuito de Cultura

06/05/2021 | 13:20 | atualizado em 06/05/2021 | 13:21

A potência da nova geração de artistas mineiros é cada vez mais evidente, em diferentes linguagens, como a música e o audiovisual. Prova disso são as primeiras atrações que compõem a programação on-line e gratuita do Circuito Municipal de Cultura neste mês. No dia 7, sexta-feira, acontece o lançamento do curta-metragem “Nosso Olhar”, gravado no bairro Salgado Filho. A ação foi idealizada de forma participativa, através do grupo de mobilização do projeto Territórios Culturais, no bairro da Região Oeste de Belo Horizonte. 

 

Já no dia 8, sábado, será exibido o show da cantora e compositora Jéssica Gaspar, gravado sem a presença de público e respeitando todos os protocolos sanitários vigentes. O espetáculo tem direção musical de Sérgio Pererê e direção artística de Jéssica, nascida no Rio de Janeiro (RJ) e radicada em Diamantina (MG). O Circuito Municipal de Cultura é realizado pela Secretaria Municipal de Cultura (SMC) e pela Fundação Municipal de Cultura (FMC), em parceria com o Centro de Intercâmbio e Referência Cultural (CIRC). 

 

Projeto do Circuito Municipal de Cultura, o Territórios Culturais propõe a realização de ações elaboradas a partir de mobilizações feitas nas regionais de Belo Horizonte. Em cada território, são criados grupos com artistas, moradores e lideranças locais que desenvolvem diálogos sobre o tipo de ação cultural mais interessante para gerar um bem comum e coletivo àquela região. Diferente de outros territórios, que priorizaram contar a história dos bairros e de seus personagens, no Salgado Filho a demanda foi por um processo criativo que pudesse dar sequência ao trabalho já realizado há anos no Centro Cultural Salgado Filho por artistas de diferentes segmentos, como atores, dançarinos, cantores e músicos. 

 

O desafio, então, foi viabilizar um processo criativo em tempos de pandemia, diante da impossibilidade dos encontros presenciais. Por meio de reuniões on-line, o roteiro de um curta-metragem foi criado e passou por várias adaptações, até chegar em um escopo final. O curta foi gravado no dia 26 de abril, respeitando todos os protocolos sanitários vigentes. Em “Nosso Olhar”, a câmera em primeira pessoa passeia pelas ruas do Salgado Filho, até entrar no Centro Cultural, que se encontra atualmente fechado ao público, como parte das medidas adotadas para a prevenção ao contágio pela Covid-19 em Belo Horizonte, e foi aberto exclusivamente para a equipe de gravação. Em meio a ambientes e salas vazias, a câmera visita os espaços e, a cada porta aberta, entra na casa de um artista que, mesmo não estando presente fisicamente, se conecta àquele espaço, a seus colegas e à sua arte. O curta será publicado no dia 7 às 18h, no YouTube da Fundação Municipal de Cultura, no site e no Facebook do Circuito. 

 

Para Ricardo Ulpiano, coordenador do Centro Cultural Salgado Filho, o processo de produção de “Nosso Olhar” reflete a potência artística do Salgado Filho, que abriga diversos artistas, entre eles os 16 participantes do projeto. “Vimos no Circuito Municipal de Cultura uma oportunidade desses artistas locais criarem um processo que fosse deles. Primeiro, porque percebemos que a equipe do Circuito estava mediando o processo de uma forma muito efetiva, mesmo diante das dificuldades que surgiram no caminho, principalmente por conta da pandemia. Também porque o Centro Cultural conta com a perspectiva da criação da autonomia”, afirma. “São artistas que já tinham trabalhado em processos coletivos antes, ao longo dos 12 anos de trajetória do Centro Cultural. Mas nunca de uma forma tão coletiva, de fato. E o projeto do Circuito refletiu toda essa história. Porque eles foram atendidos, pediram para fazer o que gostariam e criaram juntos”.

 
Jéssica Gaspar 

 
No sábado, dia 8, o Circuito Municipal de Cultura apresenta o show de Jéssica Gaspar, talento da nova geração de cantoras brasileiras. Nascida no Rio de Janeiro e radicada em Diamantina, Jéssica Gaspar é artista multidisciplinar, escritora, compositora, performer, educadora social, jovem mãe e pesquisadora. Com poesia sofisticada e timbre peculiar, as composições da artista acolhem e provocam reflexões importantes sobre ancestralidade, emancipação negra e feminina. O show será exibido às 19h, no YouTube da Fundação Municipal de Cultura, no site e no Facebook do Circuito. 

 

Pensada exclusivamente para o projeto, a apresentação tem direção musical do músico mineiro Sérgio Pererê e direção artística de Jéssica Gaspar. O show foi gravado em um estúdio de Belo Horizonte, no dia 25 de abril, sem a presença de público e seguindo todos os protocolos vigentes em virtude da pandemia da Covid-19. Em cerca de uma hora, a artista apresenta 16 canções autorais, entre elas “Deus é uma mulher preta”, enredo no Carnaval de Salvador em 2020, com o Bloco Okánbí, um de seus grandes sucessos. “O repertório foi escolhido com muito carinho a partir das músicas que eu venho trabalhando para o meu primeiro disco, que trazem muito as questões da africanidade, da brasilidade, da resistência, da feminilidade”, comenta Jéssica. 

 

Segundo a artista, a direção musical de Sérgio Pererê foi importante “para desenvolver um show harmônico, fluido e, ao mesmo tempo, espontâneo e verdadeiro”. “Foi muito interessante criar esse show, pensar a direção artística. Achei uma oportunidade maravilhosa participar do Circuito. Esta gravação marca um momento muito bonito e intenso da minha carreira, já que estou neste processo de gravação e entendimento do meu disco. Fora isso, há a questão da pandemia, em que os artistas têm sofrido muito. Neste momento, para mim, como artista negra, independente e mãe solo, poder fazer trabalhos como este é, também, garantir a subsistência”.