Pular para o conteúdo principal

Marmitex sendo preparados no Restaurante Popular
Foto: Stênio Lima

Restaurantes Populares servem 1,8 milhão de refeições durante a pandemia

29/04/2021 | 15:28 | atualizado em 29/04/2021 | 19:52

Há um ano, as tradicionais bandejas dos Restaurantes Populares foram substituídas por marmitex e os salões de refeições fechados para evitar aglomerações. Em função da pandemia, a forma de distribuição foi alterada para garantir a continuidade da oferta de refeições saudáveis e a baixo custo aos belo-horizontinos. Desde março de 2020, entre café da manhã, almoço e jantar, foram servidas mais de 1,8 milhão de refeições, cerca de 6 mil refeições diárias. 

 

As adequações realizadas em função da pandemia têm como objetivo a manutenção dos serviços de forma segura, possibilitando que as pessoas apenas retirem seu alimento, sem consumo nos restaurantes, garantindo a qualidade das refeições. 

 

Atendendo às demandas da população e considerando as consequências trazidas pelo vírus causador da covid-19, a Subsecretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (SUSAN), ligada à Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania (SMASAC) ampliou a distribuição de refeições. 

 

De forma gratuita, os Restaurantes Populares passaram a ofertar marmitex para pessoas em situação de rua também aos finais de semana e feriados, garantindo o acesso ao alimento daqueles que estão em alto grau de insegurança alimentar, com uma alimentação balanceada e de qualidade. Neste período, 676.058 refeições foram servidas a esta população. 

 

As refeições servidas para as pessoas em situação de rua são 100% subsidiadas pela Prefeitura de Belo Horizonte. Os beneficiários do Programa Bolsa Família pagam a metade do preço cobrado pelos restaurantes. O valor pago pela população em geral é de R$ 3 para o almoço, R$ 1,50 para o jantar e R$ 0,75 para o café da manhã. 

 

 

Cardápio 

 

O serviço está presente em Belo Horizonte desde 1994, com a inauguração do Restaurante Popular Herbert de Souza, localizado no Centro. Os cardápios dos restaurantes são elaborados por nutricionistas, visando um público diverso que inclui trabalhadores, desempregados, idosos, crianças, estudantes e pessoas em situação de rua, além de pessoas com necessidades alimentares especiais.

 

De acordo com Joyce Batista, nutricionista e coordenadora do Restaurante Popular Dom Mauro Bastos, o menu é montado levando em consideração as necessidades nutricionais do público atendido, a variedade, e a durabilidade dos alimentos devido aos protocolos sanitários adotados, em virtude da pandemia. 

 

“Como estamos trabalhando com entrega de marmitex, precisamos rever os cardápios, pois algumas preparações são muito perecíveis e podem estragar com facilidade. Um exemplo é a maionese, que não estamos usando. Porém, a equipe sempre realiza testes de novas preparações para deixar o cardápio mais diversificado e saboroso”, destaca. 

 

A proteção dos funcionários que atuam diariamente em todos os setores dos RPs também é prioridade, de acordo com as normas da Vigilância Sanitária. Todas as unidades disponibilizam álcool em gel e requerem dos funcionários a utilização obrigatória de EPIs, com reforço no período pandêmico. 

 

Trabalho da Gestão 

 

A Diretoria de Unidades de Alimentação Popular DUAP, ligada à SUSAN, é responsável por todo o controle orçamentário do programa e pela avaliação da execução dos insumos utilizados nos Restaurantes Populares, além de definir as melhores formas para atendimento à população. Desde 2017, o serviço foi ampliado. O Restaurante Popular Josué de Castro, na área hospitalar da cidade, passou a servir café da manhã e jantar e o refeitório da Câmara Municipal foi reaberto. 

 

Darklane Rodrigues Dias, subsecretária de segurança alimentar e nutricional, destaca que executar ações que contemplem a política de segurança alimentar e nutricional vai além das refeições servidas pelos RPs. “Por trás da refeição pronta, quentinha e saudável entregue em cada um dos Restaurantes, tem uma equipe competente e comprometida com cada etapa. Junto com várias outras estratégias de políticas públicas, como o Banco de Alimentos, o fomento às hortas comunitárias e quintais agroecológicos, a cesta básica de alimentos, a entrega dos gêneros nas unidades socioassistenciais, os serviços, programas e projetos de segurança alimentar se tornam ainda mais essenciais neste momento em que os indicadores mostram o retorno da insegurança alimentar na vida da população mais vulnerável", ressalta.

 


Restaurante Dom Mauro Bastos (Barreiro) comemora 11 anos em maio 

 

Joel Augusto, 44 anos, é autônomo e conta que ele e seus familiares almoçam no Restaurante Popular Dom Mauro Bastos, no Barreiro, desde a inauguração, que completa 11 anos em maio. “Eu frequento o RP porque a comida é balanceada e muito saborosa. Além disso, os funcionários do restaurante são excelentes, muito educados, atenciosos e prestativos comigo e com minha família”, explica. 

 

Mais conhecido como Restaurante Popular do Barreiro, o Restaurante Dom Mauro Bastos, celebra no próximo 15 de maio, 11 anos de existência. A unidade do Barreiro foi a quarta a ser inaugurada em Belo Horizonte, com  3.457 metros quadrados de área construída, o que faz do local o maior restaurante popular do país. 

 

A trajetória da unidade é marcada pela estreita relação de amizade entre os funcionários e a comunidade. Suelly Marques Araújo  é auxiliar de cozinha, e celebra o papel fundamental que os Restaurantes Populares executam na garantia de direitos da população.  “Estamos ajudando a alimentar vidas, garantindo às pessoas mais necessitadas o direito de uma alimentação com qualidade, saudável e balanceada”, afirma. 

 

Apesar das limitações  impostas pela pandemia, a data não passará despercebida. A unidade contará com decoração, além de distribuir uma sobremesa especial para celebrar o aniversário do restaurante.