Pular para o conteúdo principal

participantes do evento recebem o prêmio na categoria Equidade Social e Econômica
Divulgação/PBH

Restaurantes Populares de Belo Horizonte recebem prêmio internacional

04/09/2018 | 17:43 | atualizado em 04/09/2018 | 17:43

Os Restaurantes Populares da Prefeitura de Belo Horizonte foram premiados nesta terça-feira, dia 4/9, em Tel Aviv (Israel), no encontro anual das cidades signatárias do Pacto de Milão. O município foi contemplado na categoria Equidade Social e Econômica, pela oferta de refeições gratuitas e de qualidade à população em situação de rua. Desde janeiro de 2017 foram realizados mais de 350 mil atendimentos a esse público.


Além de Belo Horizonte, mais 174 municípios assinam o Pacto de Milão. Na competição deste ano, 157 experiências foram inscritas, por 109 cidades de todo o mundo. Belo Horizonte competiu em duas categorias e venceu cidades concorrentes do próprio Brasil, assim como localidades da Itália, Estados Unidos, México, Equador, dentre outras.


O Pacto de Milão é um protocolo internacional que aborda questões relacionadas ao desenvolvimento urbano. É um compromisso global que prefeitos de todo o mundo assumem, por entenderem que a alimentação contribui com o desenvolvimento sustentável das cidades e o bem-estar geral dos cidadãos. “Esse compromisso é visto em Belo Horizonte e comprovado pelo prêmio recebido. Ele reconhece as melhores iniciativas de prefeituras ao redor do mundo na promoção do acesso universal a alimentos produzidos adequadamente”, comemora a secretária municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, Maíra Colares.


Gestora da pasta responsável pela rede de restaurantes, Maíra representou o prefeito Alexandre Kalil na cerimônia. O prefeito também se manifestou por vídeo, saudando os presentes e celebrando a conquista.


Acesso gratuito a refeições saudáveis


Atualmente, Belo Horizonte conta com quatro Restaurantes Populares e um Refeitório Popular, reaberto em 2017. São servidas, em média, 9.700 refeições por dia, totalizando 2,4 milhões de refeições por ano. Do início de 2017 até junho de 2018, ocorreu um aumento de 76.000 refeições servidas à população.


Além disso, os cardápios foram melhorados e corrigidos, com a inclusão de ovos, peixes, frutas e a retirada de alimentos ultraprocessados. Opções especiais para diabéticos também foram incluídas.


As aquisições oriundas da agricultura familiar, para o funcionamento da rede, também foram ampliadas desde 2017, viabilizando o uso de alimentos saudáveis nos preparos e a geração de renda para o pequeno produtor.


As refeições servidas para as pessoas em situação de rua são 100% subsidiadas pela Prefeitura de Belo Horizonte. Os beneficiários do Programa Bolsa Família pagam a metade do preço cobrado pelos restaurantes. O valor pago pela população em geral é de R$ 3 para o almoço, R$ 1,50 para o jantar e R$ 0,75 para o café da manhã.


Ainda para 2018, está previsto o investimento de R$ 24 milhões na expansão dos serviços das unidades e subsídio das refeições.


Últimas Notícias

Casal passeia com criança em cadeira de rodinhas e outroas pessoas caminham na Savassi, no domingo, durante o dia. BH é da Gente oferece ioga, encontro de carros e orientação nutricional

Show de talentos, ioga, encontro de carros e orientação nutricional são atrações do BH é da Gente no domingo, dia 22/9.

19/09/2019 | 20:26
Imagem aérea de uma rua com pinturas e um estacionamento de carros ao lado, durante o dia. No Mês da Mobilidade Urbana, PBH incentiva reflexão sobre segurança no trânsito

BHTrans está realizando uma série de atividades no Mês da Mobilidade Urbana, entre os dias 18 e 25/9. 

19/09/2019 | 19:21