Pular para o conteúdo principal

Estátua dourada de Iemanjá, reformada, na Lagoa da Pampulha.
Foto: Leonardo Goodgod

Reinauguração da Estátua de Iemanjá tem selo BH sem Racismo

11/12/2017 | 18:33 | atualizado em 26/12/2017 | 14:57
A entrega do “Selo BH sem Racismo” para as empresas que, reconhecidamente, realizam ações que promovam a igualdade racial no cotidiano de trabalho, ocorreu terça-feira, dia 12 de dezembro, a partir das 19h. O reconhecimento é feito pela Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania (SMASAC), por meio da Diretoria de Políticas para a Igualdade Racial (DPIR) e será realizado na Praça da Iemanjá (Praça Alberto Dalva Galvão – avenida Otacílio Negrão de Lima, 260, São Luiz). 

A premiação faz parte da cerimônia da entrega da restauração do Monumento a Iemanjá e do Portal da Memória, realizada pela Secretaria Municipal de Cultura. Ao final do evento, haverá uma apresentação musical do Bloco Afro Afoxé Bandarerê.

As organizações selecionadas para receber a premiação destacam-se em iniciativas que reforçam a superação do racismo e a preservação da cultura afro-brasileira e indígena na cidade, tais como assistência jurídica gratuita, cursos pré-vestibulares populares, aulas de artes, grupos de estudos sobre relações raciais, grupos de apoio, entre outras atividades. Ao receberem o selo, as instituições selecionadas assinarão um termo de compromisso no qual garantem a manutenção das ações que motivaram seu reconhecimento. A adesão ao programa tem duração de dois anos. 
 
A ação faz parte da campanha “BH sem Racismo”, projeto da DPIR, em parceria com o Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial (Compir/BH). Makota Kizandembu, diretora da DPIR, ressalta a importância desse trabalho: “Um dos objetivos da campanha BH sem Racismo é o combate ao racismo, buscando valorizar a diversidade da população como um catalisador para o desenvolvimento social e econômico da cidade”, afirma.