Pular para o conteúdo principal

Quatro alunas da rede municipal caracterizadas para uma apresentação, acompanhadas por uma monitora
Foto: Barbara Donadoni/PBH

Projeto pedagógico promove protagonismo juvenil de alunos

10/11/2017 | 15:49 | atualizado em 10/11/2017 | 19:34

Ser chamado de invasor não é algo que agrade a alguém. Porém, um grupo de alunos da Escola Municipal Tancredo Phídeas Guimarães, na Vila Satélite, região de Venda Nova, apropriou-se da ideia para destacar o incentivo à leitura e estimular a produção poética. Trata-se do grupo Invasores Poéticos, composto por 23 alunos entre 8 e 13 anos, do Programa Escola Integrada (PEI).

Criado na oficina de teatro do PEI da escola, o grupo surgiu meio que por acaso, quando foram realizar uma homenagem para os funcionários da escola. Essa apresentação foi o estímulo necessário para a união de interesses dos alunos e do projeto pedagógico de leitura, proposto pela Secretaria Municipal de Educação, conforme explica Marina de Azevedo Santos Leandro, coordenadora do PEI da Tancredo Phídeas.
 
“O grupo dos Invasores Poéticos trouxe para nossos alunos uma proximidade do mundo da poesia e da leitura de forma geral. Percebo claramente a evolução na leitura e na escrita desses alunos. Nossa maior conquista é ver o brilho no olhar de cada um deles ao escolher a poesia, ao ensaiar as apresentações e ao ser aplaudido. Isso é o protagonismo juvenil sendo priorizado e valorizado em nossa escola", disse.

O nome, sugestão da coordenadora Marina, representa a proposta do grupo que é invadir os espaços, dentro e fora da escola, proporcionando um momento de poesia para as pessoas.

A aluna Lara Emanuele Rodrigues Duval, 11 anos, faz parte do grupo desde o início e conta que ama se apresentar. “Eu não tenho vergonha de me apresentar porque eu gosto de mostrar para as pessoas o meu talento. Cada dia tenho mais facilidade em ler e decorar as poesias. Todo mundo fala que eu leio muito bem”, disse.

Já Kauany Alves de Souza, de 12 anos, conta que descobriu o gosto pela poesia no grupo. "Antes eu nunca lia poesias. Agora que estou no grupo, gosto muito e também escrevo muito melhor", afirmou. Outro que comemora os benefícios de participar do Invasores Poéticos é Gustavo Henrique de Souza Santos, de 12 anos. "Eu gosto muito do grupo e me apresento sempre na escola. Escolhemos juntos as poesias que serão apresentadas e com isso passei a ler muito mais", contou.
 

As apresentações
 

Para as apresentações, o grupo se reveza mensalmente e escolhe poesias de variadas expressões artísticas, mostrando e estudando a diversidade cultural brasileira. “Pensando na diversidade, nós fazemos apresentações com cara pintada, poesia cantada, cordel, e assim vamos variando para ficar mais atraente”, disse a monitora Ana Paula.


 

10/11/2017. Projeto de Leitura Invasores Poéticos. Fotos: Barbara Donadoni/PBH