Pular para o conteúdo principal

Aluno molha horta cultivada na escola Escola Municipal Rui da Costa Val
Foto: Diego Lima/PBH

Projeto Horta Escolar muda hábitos alimentares e incentiva o consumo sustentável

03/01/2019 | 15:34 | atualizado em 24/05/2019 | 14:17

Desenvolvido na Escola Municipal Rui da Costa Val, região norte de Belo Horizonte, o  projeto Educação Ambiental e a Construção de Práticas Ecológicas e Sustentáveis a Partir do Desenvolvimento de Horta Escolar estimula novas práticas educativas além de incluir os espaços não utilizados da escola em atividades pedagógicas. A iniciativa integra uma série de atividades desenvolvidas pela unidade de ensino com enfoque na educação ambiental. O conjunto de ações rendeu à escola o “Selo BH Sustentável” no ano de 2017.


São 12 canteiros para as hortas que produzem alimentos como tomate, cebolinha, alface, pimentas, pimentão e cenoura, entre outras verduras e legumes. A parceria com projeto EcoEscola BH garante a doação de mudas diversas. A variedade é um dos motes para suscitar debates, como, por exemplo, hábitos alimentares saudáveis. 


O projeto, que possibilitou a redução em 90% do desperdício dos alimentos da merenda escolar, conta com a participação de alunos com idades entre 6 e 14 anos. A proposta é  ampla e inclui a criação de uma cultura de desenvolvimento sustentável com foco na economia e preservação da água, na redução do consumo de energia elétrica, e na conscientização sobre a necessidade de descartar de forma adequada lixo e resíduos e de preservação do córrego Tamboril, que fica próximo à unidade de ensino.


Para Guilherme José Justino, de 13 anos, aluno do Programa Escola Integrada, o resultado é positivo e a aprendizagem, estimulante. “Aprendemos mais sobre o meio ambiente, cultivo, colheita, sobre a importância dos vegetais. Minha alimentação na escola é mais saudável, todo almoço do Programa Escola Integrada tem salada. Participamos da excursão ao parque ambiental de Venda Nova, onde aprendemos sobre diversos tipos de plantas e muitas curiosidades, trouxemos vários tipos de mudas de jardim e replantamos na escola”, relata.


As atividades envolvem toda a comunidade escolar, já que as crianças acompanham também parte do processo de preparo do alimento. Para cantineira Ivanilde Fernandes Honorato, uma contribuição importante do projeto foi mudança de comportamento dos alunos. “Por meio do projeto, os alunos aprenderam também como funciona a organização do espaço onde é servido a merenda. Agora eles têm acesso à cantina, ajudam no preparo dos alimentos e ainda aprenderam a reduzir o desperdício”, ressalta. Ela conta que muitos querem levar mudas de hortaliças para casa, e assim, iniciarem uma horta no quintal.