Pular para o conteúdo principal

Aluno olhando para equipamentos de som em uma vitrine de vidro em uma sala de museu.
Foto: Smed/PBH

Programa Circuito de Museus leva 12 mil alunos a museus

17/07/2017 | 14:50 | atualizado em 20/07/2017 | 07:57

Cerca de 12.600 estudantes de 111 escolas municipais tiveram a oportunidade de participar de visitas oferecidas no Programa Circuito de Museus. As últimas visitas agendadas foram das escolas municipais Honorina de Barros e Professor Paulo Freire, que levaram suas turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA) para visitar o Sesc Palladium.
 

Este ano, a Secretaria Municipal de Educação (Smed), responsável pelo projeto, ampliou de 26 para 31 as parcerias com espaços para visitações. Os espaços são divididos em circuitos, de forma a permitir percursos temáticos aos participantes. Ao todo, são nove os circuitos disponíveis em 2017: Arte Brasileira, Artes Visuais, Ciências e Tecnologia, Esporte, Lazer e Memória, História de Belo Horizonte, História de Mulheres, Imagem em Movimento, Pampulha, Território Negro. O circuito da Imagem em Movimento foi incorporado este ano e agrega novos espaços, como o Museu da Imagem e do Som (MIS) e o já parceiro Sesc Palladium.
 

O Circuito de Museus tem o objetivo de desenvolver habilidades para formas diferentes de ler o mundo, despertando o olhar crítico de educadores e estudantes para a interpretação e apoderamento dos bens culturais. Este ano, o Programa está ainda mais especial, porque a Gerência de Educação Integral, Direitos Humanos e Cidadania (GEDC), responsável pelo Circuito de Museus, está com a proposta de apoiar as escolas que desenvolvem projetos ligados à história da cidade, uma vez que Belo Horizonte completa 120 anos de sua inauguração.
 

Elcilene Pinto, professora da Escola Municipál Padre Edeimar Massote, enfatizou que a iniciativa da Circuito é fantástica. "A leitura de imagem é cada vez mais necessária em nossos dias. O Museu de Imagem e Som fez com que tivéssemos a oportunidade de resgatar a memória e a história da comunicação de Belo Horizonte. O acervo é impressionante e os alunos de EJA da escola ficaram maravilhados. O fortalecimento das leituras de imagem e de som, para nós educadores, é importante porque permite desenvolver múltiplas capacidades em nossos alunos”, concluiu. 
 

O projeto Circuito de Museus permite que estudantes das escolas municipais visitem três instituições culturais que dialogam entre si, dentro de um percurso temático. A realização das três visitas busca assegurar o desenvolvimento de habilidades de articulação de ideias, apreciação estética e interpretação dos significados contidos em objetos, fotografias, documentos textuais, filmes e uma escola pode participar de mais de um circuito.
 

O investimento na melhoria da Educação é o nosso foco o tempo inteiro. Com a ampliação do circuito, a expectativa é que nossos estudantes se apropriem, cada vez mais, do maior número possível de espaços museológicos da cidade e vivenciem cada espaço de maneira diferente”, relatou Beatriz Temponi, do núcleo de ação cultural da GEDC.
 

Rafael Santos, analista de mediação museológica do Museu de Artes e Ofícios, avalia a inserção dos alunos da rede pública no circuito museológico como algo muito positivo para o museu e para a educação. “O Circuito de Museus facilita a descoberta de novas possibilidades de aprendizagem e novos espaços de deleite cultural tão importantes para a formação do cidadão”, afirmou. 
 

Circuito para EJA
 

A Educação de Jovens e Adultos ampliou sua participação no Circuito de Museus este ano, com cinco Circuitos Temáticos e 10 espaços parceiros. Flávia Lucimar Batista da Luz, do núcleo de ação cultural da GEDC, afirma que este ano houve maior adesão dos espaços, "conseguimos um diálogo mais aproximado com os parceiros. Realmente é um público que merece a nossa atenção e conseguimos, por meio de sensibilização, muitos lugares reconhecendo a relevância de abrir os espaços para o noturno”, afirmou.
 

A professora Daniela Rosa, da Escola Municipal Ondina Nobre, relata que “as experiências com os alunos da EJA são as melhores possíveis, porque eles se enxergam nos lugares e nas histórias contadas nos museus, fazendo um resgate da própria vida”. No segundo semestre, estão agendadas cerca de 170 visitas com previsão de participação de 14.000 mil alunos.

Últimas Notícias

BH em Pauta: Consultas com leitura

Centro de Saúde Vera Cruz, na região Leste, cria biblioteca para aproximar as pessoas da literatura e da arte.

20/09/2017 | 17:38

Banda com estilo dançante agita o Teatro Raul Belém Machado

O Teatro Raul Belém Machado recebe, no próximo sábado, dia 23, às 20h, o show da banda mineira Conecto, com músicas autorais dançantes.

20/09/2017 | 15:25