Pular para o conteúdo principal

Mais de trinta pessoas, participantes da equipe do MOOd, posam para foto à frente de projeção com a logo do projeto.
Foto: Divulgação PBH

Primeira edição do Festival de Moda de Belo Horizonte - Mood começou no dia 20

20/11/2019 | 18:35 | atualizado em 25/11/2019 | 09:44

Com o objetivo de potencializar o setor da moda na capital mineira, a Prefeitura lançou na quarta-feira, dia 20 de novembro, a 1ª edição do Festival de Moda de Belo Horizonte - Mood. O setor gera atualmente mais de 28 mil empregos diretos, movimenta uma massa salarial de R$ 50 milhões mensais e outros R$ 18 milhões em exportações – o que resulta em um saldo positivo na balança comercial da cidade.

 

A cerimônia oficial foi realizada no Museu da Moda e contou  com as presenças do secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Cláudio Beato, da subsecretária de Assuntos e Investimentos Estratégicos, Cristiane Amaral Serpa, do secretário municipal adjunto de Cultura, Gabriel Portela, da diretora de Políticas de Igualdade Racial, Makota Kisandembu, da gerente de moda e produtos de beleza do Senac, Patrícia Carvalhais, do vice-presidente do Câmara de Diretores Lojistas (CDL-BH), Fausto Isaac, e do estilista Renato Loureiro.

 

Cristiana Serpa explicou que a promoção do Mood tem o objetivo de posicionar Belo Horizonte como a Capital da Moda por meio de uma programação robusta e intervenções voltadas para diferentes regiões, promovendo o acesso e a inclusão.

 

Ela chamou a atenção para a necessidade de a moda ocupar espaço na agenda econômica da mídia, lado a lado com a agenda cultural, trabalho a ser construído pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, já que o Festival fará parte do calendário anual da cidade.

 

Makota Kisandembu agradeceu a oportunidade de discursar no painel “Identidade da Moda Mineira” em uma data tão emblemática: o Dia da Consciência Negra. Ela abordou a moda afro que reflete a identidade dessa população.

 

O secretário municipal adjunto de Cultura enfatizou a inclusão do Mood na agenda de festivais da cidade com o foco em políticas públicas, a exemplo do Festival de Arte Negra (FAN), iniciado na última segunda-feira, dia 18. O Mood 2019 contará com cerca de 80 ações abertas ao público relacionadas à moda, até dia 23, em diversos pontos da cidade.

 

De acordo com o estilista e diretor Criativo do Mood, Renato Loureiro, o grande diferencial do Festival é o fato de estar fora do calendário oficial de lançamentos de moda, trazendo uma proposta abrangente e democrática que vai conversar com todos os segmentos – da indústria ao comércio – e com os atores e profissionais que contribuem para fazer de Belo Horizonte a Capital da Moda.

 

 

Destaques da Edição Mood 2019

- Stefano Carta, diretor acadêmico do IED - Instituto Europeu de Design Brasil, abordará A evolução da identidade do design italiano. Estarão em foco a criatividade e tecnologia no design, bio-design e tendências futuras. 

 

- Inácio Ribeiro vem de Londres para ministrar a palestra Mercado Internacional: trajetória pessoal e perspectivas. O designer, que vive há quase 30 anos na Inglaterra, fez carreira de sucesso com a marca Clements Ribeiro. Foi também diretor criativo da Cacharel e, hoje à frente da Portobello Clementes Ribeiro, assina colaborações como designer ou consultor para importantes grifes globais do mercado de luxo, como a Benetton, Loro Piana, do grupo LVMH, Emílio Pucci.

 

- Carlos Teixeira, jornalista, com especializações em comunicação, inteligência competitiva e gestão da informação, produz e edita, atualmente, o site Radar do Futuro, que combina conhecimentos de jornalismo com a identificação das tendências sociais, econômicas, políticas e tecnologias que impactam o mundo. 

 

- Felipe Siqueira, co-fundador da Oficina, fashiontech brasileira com foco em roupas básicas e sob medida. O mineiro, que começou em Belo Horizonte com a startup Social Taylor, transformou a experiência no consumo de moda masculina e, em 2017, tornou-se sócio do Grupo Reserva, um dos maiores e inovadores grupos de moda do Brasil. A sacada vitoriosa do empreendedor foi usar algoritmo para inovar na produção de camisas, um negócio até então tradicional.

 

- Tomás Lerbach, gerente técnico da empresa Universal Robots, fabricante dinamarquesa de robôs colaborativos e com carreira consolidada em empresas multinacionais e nacionais com ênfase em robótica e automação, promete surpreender a plateia com os novos conceitos em torno de produção/mercado/tecnologia. 

 

- Daniele Aragão, mestre em comunicação, especialista em marketing e graduada em publicidade e propaganda pela UFRJ. Atua há mais de 20 anos em empresas de grande porte, com experiência nas áreas de gestão de marcas/branding, entre outras ações.

 

 

A Moda como Produto Turístico

A sexta-feira, dia 22, será dedicada ao trade turístico e os participantes terão a oportunidade de conhecer melhor os principais equipamentos, circuitos e roteiros da moda presentes na cidade.

 

 

Intervenção no Mercado Central 

Uma intervenção de moda, arte e inclusão a partir do tema A moda e a cidade, com direção criativa de Renato Loureiro, será realizada no dia 23, às 11h, no Mercado Central. Com participação dos alunos dos cursos de moda da Fumec, Una e UFMG, estarão em evidência também o trabalho de 32 artistas do BHOOM Fashion Art.

 

As camisetas customizadas pelo grupo têm como referência ícones de Belo Horizonte relacionados à arquitetura, gastronomia e moda. O evento será aberto ao público. A programação completa do Mood está disponível na página do Mood