Pular para o conteúdo principal

Prefeitura retoma construção do Centro de Saúde Vera Cruz

21/08/2017 | 14:05 | atualizado em 25/08/2017 | 08:24

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, assinou na manhã de domingo, dia 20 de agosto, Ordem de Serviço (OS) para a retomada das obras da construção do Centro de Saúde Vera Cruz. A nova unidade será construída na Praça Pedro Lessa, 36, e irá beneficiar cerca de 16 mil pessoas. Na cerimônia, realizada em frente o canteiro de obras, Alexandre Kalil anunciou a liberação de R$ 60 milhões para andamento das obras do Orçamento Participativo (OP).

 

A representante da comunidade, Katia Valéria dos Santos, não escondia a emoção. De acordo com ela, 735 pessoas da comunidade votaram para a construção do novo centro de saúde. “No Orçamento Participativo, a comunidade e o prefeito trabalham juntos. Hoje temos dois representantes que valorizam a comunidade”, afirmou Katia.
 

A obra de construção do novo Centro de Saúde Vera Cruz foi conquistada por meio do Orçamento Participativo. A construção do Centro de Saúde foi iniciada em novembro de 2011 e interrompida em 2013, devido a problemas de falência com as empresas licitadas para a construção. Durante este período, foi feita a obra de fundação da unidade.
 

Para dar prosseguimento, foi realizada uma nova licitação pela Prefeitura. A obra está orçada em R$ 1,8 milhão. O Centro de Saúde terá 780 m² e abrigará os profissionais que atendiam em uma antiga unidade, e também a equipe que fazia atendimento em um anexo alugado, instalado a quatro quarteirões de distância. A nova unidade de saúde terá 12 consultórios, duas salas de reunião, sala de espera, odontologia, vacina, além de toda a infraestrutura para garantir conforto aos usuários e trabalhadores. A previsão de conclusão da obra é no segundo semestre de 2018.
 

Atualmente o Centro de Saúde Vera Cruz funciona em uma sede própria, mas com espaço físico limitado. A unidade está localizada próxima ao local onde será construída a nova sede. O Centro de Saúde conta com cinco Equipes de Saúde da Família, todas completas, dois pediatras, clínico geral, dentistas, farmacêutico e equipe de saúde mental composta por psiquiatra, psicólogo e assistente social. Além de equipe do Núcleo de Assistência à Saúde da Família (NASF) com fisioterapeuta, nutricionista e educador físico. Também integram a equipe os agentes de combate a endemias (ACEs), os agentes Comunitários de Saúde (ACSs) e trabalhadores que atuam na área administrativa.
 

A Prefeitura de Belo Horizonte está investindo na estrutura física das unidades de saúde. Em seis meses de gestão, já foram realizadas cerca de 450 intervenções em Centros de Saúde e em Unidades de Pronto Atendimento (UPA) da capital. O objetivo é melhorar a infraestrutura das unidades de saúde, oferecendo mais conforto aos usuários e também aos trabalhadores. Essas intervenções somam-se às outras 41 obras em Centros de Saúde, anunciadas no início de maio, e que estão em andamento.

 

 

Orçamento Participativo

 

Durante o evento, o prefeito anunciou a liberação de verba para as obras do Orçamento Participativo. Em BH, 420 obras do Orçamento Participativo estavam paralisadas. Nos primeiros 6 meses de governo, cerca de 80 obras foram reiniciadas. “Com a liberação de R$ 60 milhões vamos retomar outras 50 obras que vão trazer bem estar para a população”, salientou Kalil. De acordo com o prefeito, a dificuldade do processo de retomada e escolha das obras está relacionada ao tempo de aprovação dos projetos que demandará uma readequação dos preços, contratos, entre outras questões.
 

Participaram do evento o vice-prefeito Paulo Lamac e os secretários municipais de Saúde, Jackson Machado Pinto, e o de Obras e Infraestrutura, Josué Valadão.