Pular para o conteúdo principal

Mais de duzentas pessoas fazem passeata em avenida em prol da Luta Manicomial, com faixas. A faixa à frente da passeata tem os dizeres: "Por uma Sociedade sem Manicômio".
Foto: Isabel Baldoni/PBH

Prefeitura participa de evento no Dia Nacional da Luta Antimanicomial

17/05/2018 | 19:27 | atualizado em 18/05/2018 | 19:45

Na sexta-feira, dia 18 de maio, a Praça da Liberdade recebe o desfile da escola de Samba “Liberdade Ainda que Tam Tam”, em comemoração ao Dia Nacional da Luta Antimanicomial. Na data é celebrada a conquista da reforma psiquiátrica, o tratamento em liberdade e a cidadania. A concentração começa às 13h na alameda central da Praça de Liberdade e segue até a Praça da Estação.

 

A escola cantará o samba “Jamais aprisionar o nosso sonho” e terá seis alas, compostas por usuários e profissionais da Rede de Saúde Mental de Belo Horizonte e de cidades da Região Metropolitana. A previsão é da participação de 4 mil pessoas, entre usuários, familiares e trabalhadores. O evento é organizado pelo Fórum Mineiro de Saúde Mental com o apoio da Secretaria Municipal da Saúde.

 

Este ano completam 25 anos de serviços substitutivos de saúde mental em Belo Horizonte e o desfile também comemora esta importante mudança no atendimento e assistência à população. Em 1993 foi aberto o Centro de Referência em Saúde Mental (CERSAM) Barreiro e o Centro de Convivência São Paulo.

 

Atualmente a capital conta com três Centros de Referência em Saúde Mental - Álcool e outras Drogas (CERSAM-AD), nas regionais Pampulha, Barreiro e Nordeste; dois Centros de Referência em Saúde Mental Infantil (CERSAMI); o Serviço de Urgência Psiquiátrica (SUP); oito Centros de Referência em Saúde Mental (CERSAM); nove Centros de Convivência, quatro equipes de Consultórios na Rua e duas unidades de acolhimento transitório, uma adulto e outra infantil, além do Centro Mineiro de Toxicomania (CMT), que pertence à Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (FHEMIG).