Pular para o conteúdo principal

Homem segura antibiótico em frente a armário de medicamentos, ao lado de mulher.
Foto: Karen Moreira/PBH

Prefeitura intensifica ações para alertar sobre uso de antibióticos

19/11/2018 | 17:28 | atualizado em 03/12/2018 | 13:01

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, iniciou nesta segunda-feira, dia 19, uma ação de conscientização sobre a prescrição e uso racional de antibióticos. A iniciativa faz parte da Semana Mundial de Uso Consciente de Antibióticos e tem como objetivo alertar sobre os riscos do seu uso indiscriminado. Durante as vistorias, os fiscais sanitários farão um roteiro específico e utilizarão um questionário a ser respondido pelos farmacêuticos. A partir das respostas será possível fazer um diagnóstico em relação à prescrição e dispensação desses medicamentos, bem como a prática da atenção farmacêutica.

 

Andréa Belloni, técnica da Gerência de Produtos de Interesse da Saúde, reforçou a importância da ação. “A sensibilização dos profissionais de saúde e dos pacientes é fundamental. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que em 2050, cerca de 10 milhões de pessoas poderão morrer de infecções não tratáveis devido a bactérias super-resistentes a antibióticos, mesmo os mais potentes”, alertou.

 

Além de intensificar a fiscalização em drogarias e farmácias, a ação prevê atividades junto a médicos quanto à orientação e cuidados para prescrição e junto a outros profissionais de saúde, de forma a repassarem aos pacientes a orientação sobre a forma correta de uso de antibióticos. O trabalho será estendido também aos hospitais, UPAS e Unidades de Saúde da capital com distribuição de material informativo.


 

Alerta para a população

Antes de tomar qualquer medicação, é importante que as pessoas busquem orientação de um profissional de saúde habilitado. Isso garantirá não só que os pacientes tenham o tratamento adequado, mas também que façam uso responsável de antibióticos, o que ajudará a reduzir os problemas relacionados ao consumo deste tipo de medicação. Ana Emília Ahouagi, gerente de Assistência Farmacêutica da Secretaria Municipal de Saúde, faz outro alerta importante. “Temos visto o aumento das compras pela internet, porém não é possível garantir a procedência desses medicamentos. Há o risco de adquirir produtos adulterados, nocivos à saúde” adverte.